Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SÓ AS CRIANÇAS FALAM A VERDADE




    Estávamos no final de fevereiro e faltavam poucos dias para o final do Horário de Verão. Como o crepúsculo só acontecia aproximadamente das 19:0 às 19:30h, aproveitei para ir ao McDonald`s de Cabo Frio, como tinha prometido à minha filha de oito anos. Fomos de ônibus, pois o meu    carro encontrava-se na oficina.
    Lá chegando, passeamos no calçadão do Canal de Itajuru e tiramos algumas fotografias, tendo como fundo o Morro da Guia e a Ponte Feliciano Sodré. Minha filha, vendo que eu estava entretido, vez ou outra me relembrava que deveríamos ir ao McDonald`s.
    – Sim, filha, já estamos indo! –  respondia-lhe.
Pela quarta ou quinta vez, sendo lembrado do compromisso na tal lanchonete...
    – Filha, estamos seguindo em direção ao MacDonald! – e realmente estávamos.
    Na terceira quadra, dobramos à direita. Minutos depois, senti algo no nariz... uma espécie de coceira, e não percebi que a minha pequena me olhava, a sorrir, ao notar que o meu indicador estava no nariz. Vendo aquele sorriso matreiro, fiquei curioso e  perguntei-lhe:
   – Filha, porque você está rindo?
   Ela, depois de alguns segundos a me olhar, me fez uma pergunta surpresa:
   – Meu pai, você teria coragem de colar meleca detrás do banco do ônibus?
   – Claro que não, meu anjo! Isso, além de ser falta de educação, é falta de higiene – continuei – você não teria coragem, teria?
   Ela me olhou com uma certa reserva...
   – Me desculpe, papai. Mas até hoje eu não sabia QUE TINHA CORAGEM, MAS... ME DESCULPE!



 Este trabalho está registrado na Biblioteca Nacional-RJ
carlos Carregoza
Enviado por carlos Carregoza em 30/11/2006
Código do texto: T305590
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
carlos Carregoza
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
102 textos (5962 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:07)
carlos Carregoza