Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SERÁ QUE DUREPOXI ® COLA MESMO?

Sinceramente, eu nunca vi ou ouvi falar de alguém que dê tantas aplicações práticas para o Durepoxi®, tal como a minha velha mãe o faz. Sim, falo daquela cola bicomponente, composta de duas massas densas – uma cinza claro e outra cinza escuro - que quando juntas e após certo tempo de aplicadas, se tornam uma potente liga reparadora.

Na caixinha do referido produto, constam algumas aplicações básicas – e são inúmeras – porém a minha velha, seguramente, daria um “banho” nos químicos da empresa fabricante.  Ela consegue aplicar aquela argamassa em tudo o que vê pela frente e que está quebrado.

Quando venho aqui em Salvador, fico encantado – e as vezes espantado – com as coisas que vou encontrando pela casa e que tem uma manchinha cinza em algum lugar.   Encontra-se a referida cola rápida em panelas de alumínio; num chuveiro que estava vazando; em cesto de lixo; naquele rádio que caiu no chão e rachou.  Caneta quebrada é mais um dos objetos salvos do lixo; cabos, de qualquer que seja o utensílio não escapam de uma reforma duradoura. Azulejo que resolveu trincar com o tempo; vasos de flores; jarras de vidro e uma outra infinidade de objetos, são alvo da técnica apurada e eficaz desenvolvida pela Engenheira Química do Lar – Dona Alice Borali Teles.

Minhas irmãs me contam que, sempre que algo quebra aqui em casa – seja o que for – já se escuta prontamente:

- Será que Durepoxi® não resolve? - e ela aparece com a caixinha milagrosa nas mãos

Hoje, último dia do ano de 2006 e passagem inadiável para um novo ano, fiquei a refletir sobre os fatos e coisas importantes que aconteceram – as boas e as ruins. As boas, por si só já estão resolvidas e consolidadas pois geraram bons frutos: as novas amizades, um amor conquistado, o sucesso profissional, a boa relação familiar e assim por diante.

As ruins ou difíceis, estas são como objetos quebrados. É um coração partido – não importa por culpa de quem seja; é uma rusga muito dura com algum irmão ou parente próximo; uma desavença maior com um colega de trabalho; pode ser um desencontro de opinião com algum membro do seu grupo de amigos. Tudo isto provoca rachaduras e fraturas visíveis em todos nós.

Por isso tomei uma decisão. Não vou entrar o Ano Novo com estas fissuras na minha conta- corrente emocional. Daqui a pouco, quando a minha velha acordar vou pedir-lhe uma caixinha daquelas de Durepoxi®.

Tenho certeza que ela me ensinará a colar os cacos de todos estes sentimentos que eu, inábil e desajeitado, deixei cair no chão, neste ano que se esvai.

Para aqueles que eu possa ter magoado e ferido, um Durepox®  especial no coração de vocês.

Nota do Autor: 1) Durepoxi ® é marca registrada
                         2) Não ganhei nenhunzinho da empresa fabricante. Infelizmente !!!
Dionisio Teles
Enviado por Dionisio Teles em 31/12/2006
Reeditado em 25/07/2010
Código do texto: T332663

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionisio Teles). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionisio Teles
Barueri - São Paulo - Brasil, 62 anos
177 textos (39745 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 16:58)
Dionisio Teles



Rádio Poética