Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OLHOS E SEIOS


O corpo cria um novo significado para o prazer. A dimensão do outro percebida nos grandes olhos abertos sobre o ventre. A realização umedecida e refletida na continuidade. Não há palavras, não há silêncios...
Ele se apropria dos seios com a determinação dos famintos e se inebria com os instintos saciados. Os olhos adormecem. A mulher esconde o corpo nas vestes do mundo, deixa-se alimentar com a serenidade das feições do pequeno... Tenta decifrar o futuro na placidez da face. Embrulhá-lo novamente nas entranhas, talvez apenas mais um instante... Tentativas atropeladas no tempo exteriorizado.
A realidade impõe as vestes. Primeiros gestos, traços cegos num mundo de vultos, contracenam com expressões sombreadas num mundo de certezas. Mãe e filho se complementam num corpo de fragmentações, permanecem a salvo das tentações enquanto se aproximam de suas pulsões. Amadurece a malícia e a vergonha nas belas raízes do eu no mundo, na armadilha do “nós” encasulado.
O prazer deflorando a alma. A construção do instinto nos versos escritos nos movimentos nus de contrações e entregas. Cheiro de leite, olhar coalhado de primeiras impressões, fragrância exótica, olhar em série... As tonalidades carmins desenham o horizonte a obscuridade dos novos desejos tatuados nos corpos protagonistas das primeiras rupturas. Sensações desvirginadas no afastamento do olhar dos seios.
Não há palavras, não há silêncios... Olhos e seios. Passo pela jovem mulher, sentada no banco de praça, amamentando o mundo, sob o olhar atento do pequeno Lucas. Meus olhos se orvalham na beleza do instante, os seios ressecam distante da infância...

Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 03/02/2005
Código do texto: T3394
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Sut
Curitiba - Paraná - Brasil, 46 anos
614 textos (784014 leituras)
2 áudios (1253 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/16 02:02)
Helena Sut

Site do Escritor