Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E, por falar em paraíso




Sabe minha amiga, esse texto eu escrevi de sopetão... sabe como é?
Sem correções, parece que veio do céu que chora a vida que se esvai em cantos que não conseguimos chegar. O que me acalenta para não sentir dor maior é que sei que é para nossa evolução, cada uma das coisas que vemos, que fazemos e que não podemos interferir de outra forma. Escrever sobre isso é para mim, triste mas, necessário. Quem sabe alguém ilumine-se para olhar para uma dessas crianças e tire-as de onde está para braços amigos, pais amorosos...quem sabe? Não vou desistir, vou é escrever sobre tudo da miséria humana, da incompetência de nossos lideres e da inércia do nosso povo.
Fique com Deus minha amiga que de arma na mão, vou à luta! Minha arma é branda,não parece a quem vê pela primeira vez,  não se dá conta que ela é temerária,  que   corta como fio de navalha,   afinal usu-a como uma secretária... dito mentalmente e meus dedos dedilham as farpas, as balas que voam e não sei para onde foi o tiro que dei, ou a flecha que do arco eu lancei. Sei que foi no intuito de ferir, de machucar de formarem chagas a serem recompostas, com tratamento intesivo e cotidiano, que só assim irá acabar. A violência  gera marcas profundas em cada um de nós e é preciso parar com isso, é preciso lançar nossos canhões, nosso exército a acabar de vez com essa droga de droga! Libere-se a droga para qualquer um comprar... de dia, de noite em qualquer lugar. Quero ver se terá traficante, bandido vestido de mocinho (políciais corruptos), juízes, delegados que irão em busca da dificuldade, vender facilidades, lavando dinheiro, ora os banqueiros... que dizer dos bandidos de colarinho branco... hoje usam bermudas, relógios rolex, têm barcos a vela e passam o reveillon na Riviera, a grana? De onde vem? Das ruas, do tráfico de drogas, do fucionários públicos corruptos, da falta de contribuição previdenciária, da sonegação de impostos, trocando dólares por cigarros do Paraguai, de peças de R$1,99 que custam o sangue dos chineses que trabalham em troca de comida e dormem no emprego, quando não... vêm para cá para serem carcereiros de seus próprios irmãos e familiares. Assim como os coreanos, ainda não aprenderam o que é irmão... aí vem um e coloca lá no carro um papel: Deus é fiel. Ora bolas!!! Imagine se Deus seria infel ou tivesse qualquer outro defeito não seria Deus e sim um pobre coitado, que vive de camiseta escrita "Jesus te ama"... mas, ele? O que veste a camisa... ah! esse é o que mais peca contra o Senhor, se veste de "irmão" e logo vira pastor... pastor do rebanho ignorante e que está a busca de riqueza material. Peca a vida inteira, roubando seu irmão, matando criancinhas, fazendo abortos à torta e à direita mas, "Dizei uma só palavra e sereis salvo"... quantos já se valeram dessa frase para que milhares, senão milhões de fiéis colocassem nos cestos o tal do dízimo, a contribuição... não é para um irmão, é para o carro novo do bispo mas, ele está comprando sua eternidade no paraíso, assim como deram suas vidas os pilotos suicidas dos aviões de 11 de setembro. Com a promessa de incautos quanto a ilusão de um pedacinho de paraíso.
E por falar em paraiso, ele existe? Existe sim minha amiga... e está bem perto de nós, chama-se consciência, atitude e caráter, tem outros nomes também mas, prícípios, idoniedade, sinceridade e Amor ao próximo é que lhe darão nesta ou em outra vida, o seu pedacinho de chão no paraíso.



13:34 h 25/11/2004
Rosy Beltrão
Enviado por Rosy Beltrão em 30/11/2004
Código do texto: T349
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosy Beltrão
Estados Unidos, 62 anos
155 textos (31363 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:45)
Rosy Beltrão