Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A palavra do dia é...

INCERTEZA, certo?!

Incertezas sem pontos e ou vírgulas maiúsculas em minúsculas e uns outros tortos sinais Apenas sozinho um ponto no caminho marcado e bem limpo se impõe ao final Se por método ou sorte palavras se cruzam talvez num desejo de consolação E assim segue a vida na inevitável incerteza de ser o ser humano que é e tem no real nenhuma verdade pois que tudo é inventado e ficção é única realidade Se só existem crenças e se tudo é construção se não se sabe nada ou muito pouco ao certo por certo há muito ainda por saber Mas se tudo o que existe o é só porque se crê não mais crendo deixaríamos de ser ou de ficar perdendo tempo pensando em dívidas a pagar ou a receber e em juros e construções que a nada levam E se tudo é distinto daquilo que se vê e o muito e o pouco tempo tatuado na pele do rosto e no ranger do cansado corpo nada têm a dizer como lágrimas de frustração ou insatisfação por um trabalho de graça forçado da falsidade de um abstrato patrão ou da fome enchendo barrigas e o ar as discussões vazias de tudo o que é fato ou mentira e de tudo o que é ilusão de mentira que de tanto repetir-se verdade fica E ficar louco é conclusão de quem foge pensar nisto ou numa razão de utilidade qualquer que maximize o estar perdido no meio de tanta certeza de ser o que se é E é incerto E quanto às incertezas há os que a elas se apegam com força de religião e é que por via das dúvidas que andar com fé é bom que pelo sim pelo não é dada a não falhar (1) Nada saber ou bem pouco e isso aceitar até nos faz flutuar aos sopros do vento como nesgas de papel crepom que não sabem ao certo por certo para onde os sopros as levarão Então melhor fechar os olhos e a progressão gozar porque nas inconstâncias da vida não tomar resolução dá vitória à dúvida e alarga a hesitação jogando contra a fortuna que da incerteza são todas irmãs porque grande é a falta que a certeza faz geradora de novas questões Mas é o que nos alimenta e permite seguir com certa sensação de deus e paz Ou leva a pensar em certos amigos que nas horas mais incertas por perto estiveram (2) ou lá estarão provavelmente.


(1) - Referência a versos da canção Andar com Fé, de Gilberto Gil
(2) – Referência a um verso da canção Amigo, de Roberto e Erasmo Carlos


Não estou bem certa disto, porém dedico este 'textículo' a todos os meus amigos, e aos colegas das áreas de Humanas e Ciências Sociais.



---------------------------------------------------------------------
Não sigo o novo acordo ortográfico em Língua Portuguesa. Se deseja reproduzir este texto, no todo ou em parte, favor respeitar a licença de uso e os direitos autorais. Muito obrigada.

Helena Frenzel
Enviado por Helena Frenzel em 30/03/2012
Reeditado em 30/03/2012
Código do texto: T3584430
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Favor informar o nome da autora. Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Frenzel
Alemanha
487 textos (36089 leituras)
47 áudios (2336 audições)
45 e-livros (1919 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/17 11:15)
Helena Frenzel