Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HUMOR MADURO

Lembro-me, com riso nos lábios, do filme “Um convidado muito trapalhão”. Eu e alguns colegas pré-adolescentes assistimos diversas vezes. Da primeira vez assistimos a duas sessões seguidas, e a graça continuava viva nos absurdos cometidos pelo personagem interpretado por Peter Sellers.
Mais de vinte anos. Encontro o dvd da comédia numa prateleira afastada entre os filmes de catálogo. Dividida entre a nostalgia de rever o riso e a curiosidade do que perceberia hoje, convenço minha filha de nove anos, Barbarella, a levarmos o dvd para assistirmos juntas no sábado chuvoso.
Desde o início sou contagiada pelo humor, o figurante alvejado que insiste em continuar tocando corneta para aumentar sua participação na filmagem. O descuido e o cenário destruído. Não consigo conter o riso, antevejo as situações hilárias na festa, relembro alguns momentos. Não chego a ser surpreendida, mas entrego-me ao riso do humor inocente, meio pastelão, do filme.
Ao lado, Barbarella observa minhas gargalhadas com estranhamento. A história não tem tanta graça, é apenas um personagem atrapalhado em situações previsíveis.
O filme encerra com um toque romântico. A possibilidade de um encontro na próxima semana. Sem transas imediatas, piadas picantes ou efeitos superespeciais, mecanismos banalizados nas comédias atuais, o filme não conquista a nova geração acostumada com os temas eróticos imiscuídos na comicidade.
Um humor renovado que perdeu a virgindade de encontrar na casualidade os motivos de sustentação para o riso.
Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 22/07/2005
Reeditado em 22/07/2005
Código do texto: T36687
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Sut
Curitiba - Paraná - Brasil, 47 anos
614 textos (790086 leituras)
2 áudios (1258 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:14)
Helena Sut

Site do Escritor