Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O velho, a criança e o burro: uma parábola

a André Franca




   Acabara de entrar naquela cidadezinha, um velho, uma criança e um burro. O velho vinha andando puxando o burro que carregava a criança. Ao passar pela gente daquela cidade, ouviram:

   - Como pode aquela criança vir toda confortada e folgada em cima do burro e aquele velho andando por este mundo afora!

   - Esta criança tem tudo para crescer fora de contexto, não? Acha-se rei.

   O velho encabulado resolve mudar a disposição da procissão na saída da cidade. Resolveu então que na próxima cidade entraria montado no burro e a criança andando puxando o animal. E na nova cidade ouviram:

   - Quem esse velho pensa que é? Abusando assim de uma criança! Ele todo folgadão sentado no burro e a pobre criança puxando tamanha carga!

   - Decerto raptou esta criança para servir-lhe de escravo!

   O velho temeroso tratou de abandonar a cidade o mais rápido possível. Prometendo uma nova disposição de sua tropa. De tanto matutar, resolveu que na próxima cidade entrariam os dois montados no burro. Ao adentrar a nova cidade, receberam:

   - Isso é uma vergonha! Temos que denunciar às autoridades protetoras dos animais! Onde já se viu, em pleno século belo tamanha brutalidade contra pobre animal!

   - Lá vão os dois monarcas! Os dois Cristos! Sentados no burro até matar o bichinho!

   O velho irritado com a insatisfação tamanha das gentes, procura se livrar o mais rápido possível da cidadela amante dos burros. Fica um tempo num pequeno deserto entre uma cidade e outra. Tenta entender como agradar as pessoas. Como pelo menos não constrangê-las. Das três disposições que armara todas as três foram reprovadas. Só havia um jeito de resolver o caso. E muito curioso colocou o plano em prática para ver a reação das gentes. Resolveu entrar cada um andando sobre as suas próprias pernas e patas. Agora seria impossível as pessoas reclamarem. Então foram, o velho, a criança e o burro andando, cada um sobre suas pernas e patas, até chegar à porta de uma simpática cidadezinha. Ao passar pelo portal da cidade, ouviram:

   - Que gente esquisita, não? Tem um burro forte e jovem, mas preferem andar a montar na besta...

14.02.07
Rodiney da Silva
Enviado por Rodiney da Silva em 14/02/2007
Código do texto: T381489

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rodiney da Silva
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 44 anos
144 textos (7973 leituras)
1 e-livros (21 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 12:29)
Rodiney da Silva



Rádio Poética