Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

              *LISA, LESE E LOUCA...*

                                  Rosa Pena



Finalmente as férias. Vou para a região dos lagos, que ainda considero o paraíso. Não é mais como era, pois há alguns anos aconteceu por lá a terceira invasão francesa. Tenho certeza de que o Mauricinho vizinho de minha casa, é tataraneto do Nassau.

Tudo bem, dispo a implicância e prometo que nada estragará meu descanso.

- A cidade está lotada - avisa-me Tereza, minha caseira. - O Jorge Versículo
vai cantar dia 29 na praia.

- E o Tony Capítulo também vem? - faço uma gozação com ela. Somos amigas e temos intimidade que vai além dos vínculos de trabalho. Desisti de avisar que o Jorge é Versilo, não adianta. Ela cismou com Versículo.

Terê é a esposa do Valdenir, meu caseiro há quase dez anos. Eu a conheci num dia em que andava na orla, final de tarde, esperando o pôr-do-sol.

Ela estava vendendo sacolé de manga e o aspecto do dito estava divino. Destemida e gulosa, encarei dois logo. Na hora de pagar, percebi que estava sem dinheiro e falei com ela que fosse comigo em minha casa para receber. Topou na hora. Disse que estava lisa, totalmente lisa, economizando até latido de cachorro para sobreviver.

Fomos conversando e fiquei sabendo que a mocinha viera do interior do Espírito Santo, com o irmão, tentar a sorte no Grande Rio. Se ferraram como a grande maioria dos migrantes e, de galho em galho, para sorte minha, vieram parar nestas bandas.

Ele, peão de obra; ela, vendendo o que sabia fazer: sacolé (um saquinho, cheio de suco de fruta, que vai ao congelador e vira sorvete-pedra... bonzão).

Quando chegamos em minha casa, eu já estava encantada com a menina de olhos grandes e espantados, um sorriso largo contagiante, que até hoje permanecem estampados em seu rosto.

Fui apanhar o dinheiro e ela ficou encostada no tanque. Quando voltei, vi que lavava acariciando uma blusinha branca minha. Agradeci e disse que não precisava ter se dado àquele trabalho, mas ela revidou dizendo que havia sido uma alegria tocar numa fazenda tão bonita. Queria se casar, vestida naquele tecido. Disse-lhe o nome: Lese.

Tereza despediu-se de mim, repetindo baixinho a palavra nova: "Lese... lese... lese".

Fui tomar banho, pensando nela. Lisa, sonhando com lese.

No dia seguinte fui fazer meu passeio habitual, intimamente desejosa de rever a sonhadora.

Desejo, hoje sei, compartilhado com ela. Nos encontramos e, entre um sacolé de abacaxi e um de uva, fomos caminhando até minha casa de novo. Adorável a conversa que se tem com a simplicidade, de quem não tem aparentemente quase nada e tem tanto. Tem sonhos, ilusão, fé, esperança de uma criança.

Neste dia ela conheceu o Valdenir, na época jardineiro do local. O olhão dela brilhou e naquele momento presenciei o nascimento de um amor.

Voltei para o Rio, no dia seguinte, com o pressentimento que a partir dali não perderia Terê de vista.

Dito e feito. Dois meses depois voltei num feriadão e fui convidada a ser madrinha do casamento.

Disse a ela que era precipitado, que um ato desses deve ser pensado. Mas Tereza falou categórica que estava louca, loucamente apaixonada pelo Valdenir.

Nada mais acrescentei, apenas abençoei. O vestido, fiz questão de presentear.

No verão de 1994, a menina lisa entrou de lese, louca de felicidade na capela da cidade.

Hoje, no final do meu jardim, tem uma casinha com azaléias na entrada, e uma geladeira sempre cheia de sacolé.

De que sabor? O sabor do amor.

livro/PreTextos
2003
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 05/08/2005
Reeditado em 05/07/2008
Código do texto: T40507
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
960 textos (1415623 leituras)
48 áudios (24765 audições)
33 e-livros (29000 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:33)
Rosa Pena

Site do Escritor