Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Orgulho de ser Brasileiro

Dia 17 de junho, manifestante de sofá que sou, escrevi em uma rede social: “Orgulho de ser Brasileiro... fazia tempo que não sentia isso....parabéns a todos manifestantes.”

Manifestante de sofá. Infelizmente não fui às manifestações nas ruas. Moro em Santo André, chego tarde do trabalho. Bem, não são justificativas, mas pelo menos me manifestei pela internet e senti orgulho dos jovens, do povo brasileiro.

Sempre achei que havia nascido na época errada. Queria ter nascido na época da ditadura, sei lá. Mas nasci em 1982. Década perdida. Redemocratização. Diretas. Impeachment do Collor. Era criança, e não participei. Desde então, sempre achei o povo brasileiro acomodado. Tantos problemas, tantas mazelas, tanta injustiça e povo preocupado com futebol? Big Brother? Novela?

Não mais. Não que daqui pra frente tudo será maravilhoso, e seremos um país desenvolvido, um lugar perfeito, claro que não. Até porque lugares perfeitos não existem. Mas uma fagulha se ascendeu.

Houve excesso nas manifestações? Claro que sim! Sou contra a violência, contra destruição do patrimônio público. Mas há excessos dos dois lados. Há tempos o governo ri da população. Faz o que quer. Corrupção, nepotismo, falcatruas de todos os tipos. Isso também é violência. Isso também precisa ser repudiado.

Vandalismo de minorias à parte, gostaria de parabenizar os líderes do Movimento Passe-Livre (MPL). Mayara Vivian, Nina Cappello, Lucas Monteiro e demais integrantes. Vi a entrevista de dois deles no Roda Viva da TV Cultura. O que mais gostei é que eles não se sentem líderes. Acho isso bonito. Li certa vez que quem quer liderar outros, geralmente não tem controle de si próprio. Não é o caso desses jovens.

Gostei também do movimento ser apartidário. Cazuza cantou “meu partido é um coração partido”. Esse trecho nunca fez tanto sentido quanto agora. O PT se aliou ao Sarney, ao Maluf, ao Calheiros, ao Collor. O PSDB não sabe fazer oposição, e onde governa não faz nada muito diferente do PT (só para dar um exemplo, o metrô de São Paulo tem apenas 75 KM de extensão; o PSDB governa São Paulo desde 1995; Dava pra fazer mais!). Os outros partidos então, nem merecem meu comentário. Talvez haja alguma esperança com a Rede, vamos ver...


Os governantes também subestimaram o MPL. De Paris, aos tentar trazer para São Paulo a Expo 2020 (mais um “mega evento” para o Brasil?!?), desdenharam do movimento, diziam que não iam retroceder, que não iriam receber integrantes do movimento, etc. Grande erro. Outro erro foi a violência excessiva da tropa de choque na quinta passada. Isso só deu força ao movimento.

Então chegou o dia 17. A manifestação foi linda. O povo nas ruas. Do Brasil e do mundo. Há muito tempo não via algo tão bonito. Jovens que não pegam ônibus estavam lá. Era rico, pobre, periferia, elite, todos juntos.

Mais manifestações ocorreram no dia seguinte, desta vez com mais alguns excessos dos manifestantes (pichar o Theatro Municipal não! Lugar lindo!), e hoje finalmente nossos governantes fizeram o óbvio: Anunciaram a revogação do aumento das passagens.

Talvez eu esteja majorando o significado desses atos, sei lá, sou meio sonhador. Talvez tudo continue na mesma daqui pra frente. Pensando bem, acho que não...

Manifestante de sofá que sou, quando cheguei em casa hoje, escrevi nas redes sociais: “Aumento regovado... parabéns a todos...MANIFESTAÇÃO FUNCIONA. POLÍTICO NÃO TEM MEDO DE CADEIA. TEM MEDO DO POVO.”

Político tem medo do povo. Não tenho ilusão que daqui para frente os políticos serão honestos, terão lisura e compaixão pelo povo. Claro que não. Mas eles vão pensar muito bem antes da próxima falcatrua. Antes da próxima maracutaia, eles certamente pensarão: “Será que ELES vão descobrir? Será que ELES vão para as ruas novamente? Será que invadirão meu Tweeter?  Será que ELES vão se manifestar contra mim em Berlin ou em Londres? Será que meu nome vai estar na primeira página do New York Times?”.

Há muito coisa para melhorar no Brasil ainda, tenho certeza. É morte de índio, colapso da Saúde pública, Educação de péssima qualidade, Renan Calheiros, Feliciano, Mensalão, Inflação e tantas outras.

Mas algo mudou desta vez. O gigante não está mais adormecido, e isto não é mais uma propaganda de bebida alcoólica. Não estamos mais deitado eternamente em berço esplendido.

O Brasil mudou.

Demos um novo grito de independência. Independência do marasmo, da ingenuidade, da acomodação, do conformismo.

Verás que o filho teu não foge a luta. Escolha sua causa. Faça seu cartaz. Grite! Se manifeste. Coloque sua opinião na rede social. Escreva um texto, mal escrito que seja, tal como o meu. E venha pra rua. Porque a rua não é da polícia, não é do prefeito, não é do governador, não é da presidenta. A rua é sua. A rua é nossa. A rua é do povo brasileiro.

Ivan Sanches

ilsanches@gmail.com
http://blogdoescritoramador.blogspot.com.br/
Ivan Sanches
Enviado por Ivan Sanches em 19/06/2013
Código do texto: T4349572
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Ivan Sanches) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivan Sanches
Santo André - São Paulo - Brasil, 32 anos
150 textos (13186 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/14 23:37)
Ivan Sanches



Rádio Poética