Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Papai sabe tudo!

Rosa Pena


Thomas que não é o Jefferson, não deu certo profissionalmente. Nem ficou rico, nem ficou realizado. Nunca fez o que quis, até porque jamais quis ser um aprendiz. Ele nasceu sabendo tudo. Tudinho. Sua vocação sempre foi ensinar. Acho que ele tem absoluta certeza que ensinou até a sua mãe a ser mãe. Nunca concluiu uma faculdade, pois na metade, já sabia muito mais que o mestre, então ficava entediado com o blá blá blá do bundão. Merecia, exclusivamente ele, ser o reitor, faça-me o favor! Nos empregos em que passou sempre se indispôs com seus chefes, uns imbecis que queriam que ele obedecesse às regras, que não foram traçadas por sua genialidade.
-Qualé que é essa de chefia, se eu sou o curador?
Também nos casamentos fracassou. Nenhuma mulher agüentou viver com um Aladim sem a lâmpada. Gênio que nem a Light paga? ????
Aposentado precocemente descobriu a Internet. Pronto! Problema resolvido.
Aqui poderia exercer sua real vocação. Ser um artista. Não um virtuoso poeta, nunca um habilidoso formatador, jamais um repassador de grandes nomes, mas um crítico virtual.
Uma Bárbara Heliodora irreal, com a diferença que a Bárbara apesar de estar sempre espinafrando tudo, ser impiedosa demais, tem conhecimento de causa, procura ser isenta mesmo que eu particularmente considere impossível que qualquer crítica esteja liberada do gosto pessoal do autor da dita.
Fato é que Thomas ficou possuído por esta função. Um intelectual capaz de julgar qualquer obra, aparecer, virar celebridade. A análise porém, jamais é com o objetivo de enaltecer a escrita ou estimular a criação. É apenas uma busca dos pontos nevrálgicos de cada escritor, uma vontade imensa de denegrir, desmerecer de alguma forma o que ele próprio é incapaz de fazer. Ser alguém por seus próprios méritos. Um bom pedreiro, um excelente alfaiate, um pianista anônimo daqueles bares da madrugada, que são mestres naquilo que fazem. Todos são merecedores de cinco estrelas em suas funções. Thomas deve ser o tipo do carinha que quando vai a um bar, espinafra com o garçom, pra aparecer mais que o cantor que tenta encher o local.
Celebridade instantânea, né gatão da meia-idade?
Ando tendo visão com muita clareza desta postura. A improdutividade da maioria das críticas está intimamente relacionada com a vaidade do crítico.
Ele não está preocupado se alguém colocou o Romeu falando de celular com a Julieta em 1594. Ele está injuriado é porque nasceu Thomas e não Romeu e nem foi ele que a história escreveu. Aliás, será que ele já meteu o malho no Shakespeare ou só no William?
Papai sabe tudo virtual é um pouco d+ cara!!!!! Busca outra opção.
Em tempos de BBB porque não tenta uma vaga na casa?
Depois, com certeza, consegue ser garoto propaganda das Casas Bahia!
Se nada disso der certo, sugiro que siga adiante. Procura uma vaga com o Dante! Sempre cabe mais um no inferno com ou sem Rexona.

"Os cães ladram e a caravana passa".
Ibrahim Sued
2005

Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 14/02/2005
Reeditado em 25/10/2008
Código do texto: T4377
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
954 textos (1389887 leituras)
48 áudios (24755 audições)
33 e-livros (28798 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/16 00:38)
Rosa Pena

Site do Escritor