Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VELHO FICAVA O SEU AVÔ

Senhoras e senhores, moçoilas e rapazes, acreditem se quiser: no último dia 25 de agosto ELE fez setenta e cinco aninhos. Você leu bem: se-tent-ta e cin-co! Quem é ELE, assim todo maiúsculo? Ora, como “quem é ELE?”. Por onde anda você ultimamente? ELE, assim maiúsculo ( e másculo, muuuuuito..), classudo, gostoso e tudo mais só pode ser o delírio meu e de mais milhões de suspirantes mulheres de várias idades: Sean Connery, o bom e gostoso double O seven ou 007, se você gosta mais. ELE, com aquela cara de Homem (assim mesmo, com um H imenso), com aquele olhar de atravessar parede de aço e com aquele charme que, sorry, meninos, é duro de competir. O cara é o Ó do borogodó. Tara por ele? Acho que desde que eu abri os olhinhos. O homem não tem adjetivos suficientes para defini-lo.
Aí é que entra nossa conversa. Vai ter coleguinha discordando, dizendo que o negócio é garotão sarado e tudo o mais. Eu, esta humilde e desconhecida criatura que vos fala, rendo-me: um coroa bem transado, boa cabeça, fino trato e bom gosto não encontra, nem de longe um bad boy, por mais sarado que seja, capaz de lhe fazer frente. E com uma barba bem cuidada, sinto muito, mas aí mamãe aqui se derrama todinha. E aqueles cabelos grisalhos apontando? Senhor, socorra-me!!! Não há oxigênio que me salve.
Tirando todos os argumentos físicos, lamento informar aos garotões, estes coroas de quem falo saem muito na frente num quesito (e não é o falo, que isso todos têm): eles sabem fazer mágica com as varinhas. Mágica que só muita estrada, experiência de vida e sensibilidade podem ensinar. Então, meninos, mirem-se no exemplo do cara. Não há quem agüente o cara que mal chegou e já tá saindo, e ainda pergunta se foi bom. Aliás, nestes casos, melhor não perguntar. A resposta será um estrondoso NÃO, acompanhado de um sutil De-sa-pa-re-ça.
Nada, absolutamente nada, nem mesmo barriga tanquinho (aliás, eu uso máquina de lavar) ou bíceps enormes (diga-se de passagem, detesto orangotango), nadica mesmo substitui o bom e velho charme, boa conversa, bom humor e principalmente a calma para ir saboreando todas as partes do trajeto, sem muita preocupação com o destino. Garoto carinha bonita, corpinho sarado é legal, não há dúvida. Ótimo pra gente olhar e admirar. Mas é como o cara que chega pra pedir emprego, bota em cima da mesa um calhamaço de 80 páginas a título de currículo, Mestre aqui, Doutor ali, PhD acolá. E aí vem o chefe, calejadaço da estrada e pergunta: e sabes botar em prática, meu filho? Propaganda, imagem é importante, é bom. Mas precisa ter mercadoria que funcione.
Olhar Sean Connery, aos 75 anos com o mesmo olhar malandro e sensual que tinha há 40 anos é algo animador. Pra mim, a prova mais cabal de que idade pode ser ótimo. Diga-se de passagem, não me troco pela pentelha que eu era aos 20. Nem me dando troco.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 30/08/2005
Código do texto: T46212

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154018 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:42)
Débora Denadai