Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ser feliz, de verdade.

Mentiras ou inverdades nada mais são que artifícios para se escapar da realidade. Usadas quando algo é tão cruel para ser aceito, quando um fato é tão rude para ser tolerável, quando alguém é tão ninguém que deseja se tornar outra pessoa ou que tem dificuldade para se aceitar como é. Inúmeros acontecimentos nos levam a mentir, omitir, inventar, esconder. Até aí existem pessoas dissimuladas, fingidas, falsas, com ar de desentendidas e daí por diante. Problema é quando se acredita na mentira, se confia na entonação deixando de lado o sentido do assunto, se presta atenção na música e não na letra, e quando você menos espera está cantarolando a melodia, disseminando a canção e até defendendo o cantor, o qual você nunca parou para analisar, apenas assimilou, surdamente.
Parece ser mal de brasileiro estar alienado, e também não é para menos, num país onde não se tem claramente uma referência, fica difícil até de saber o que aspirar, onde tudo parece estar perdido é muito fácil acreditar que num ninho de cobras como o congresso, um ovo se sobressaiu e não chocou um ovíparo. Tornou-se no mínimo um pato para não tomar atitude nenhuma frente às mentiras que o cercam e a inverdade que ele vive, omissão que acaba com todas as poucas esperanças dos pobres marrecos que assistem a tudo, sendo também coniventes com a orgia de animais que estamos vivendo, falta discernimento nas pessoas para distinguir entre o possível e o inviável, o real e o imaginário.
Em tempos multimídia a realidade perdeu um pouco seu sentido e há pessoas que acreditam num mundo virtual, bem diferente do seu, mas que acabam com alguma coisa em comum, como, por exemplo, mentir e criar personagens na rede é tão simples que alguns passam a querer agir assim na vida real, e é aí que o negócio se complica, a pessoa perde sua identidade, começa a mentir compulsivamente e nem sabe mais em que inverdade acreditar, já que criou tantas que lhe satisfaz.
É preciso retomar os valores, reassumir a idoneidade, reforçar o bom senso entre as pessoas e, se a verdade é ruim, que sejamos capazes de melhorá-la, pois, quem vive na mentira não pode ser feliz, de verdade.
Vânia Sousa
Enviado por Vânia Sousa em 17/10/2005
Código do texto: T60484
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vânia Sousa
Itapetininga - São Paulo - Brasil, 35 anos
45 textos (1398 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:49)
Vânia Sousa