Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Numa livraria

Poesia na livraria

Entrei na Barata.
É uma livraria simpática situada na avenida de Roma, em Lisboa. Vagueei  pelas mesas com livros expostos ao olhar e ao tacto, detendo-me junto de poemas enjaulados (Que será dos poemas sem a voz de um corpo?...). Eugénio de Andrade dominava o espaço, pois os despojos da sua morte ainda estavam por ali; há que aproveitar e vender, claro. A morte também é um bem e num tempo em que tudo é compra e venda, a mercadoria das palavras também vende. Poderia lá ser de outro modo.
Eugénio de Andrade não escrevia para a posteridade; gostava de ser lido em vida. Ele dizia isso. Quem não tem esse desejo? Poucos e os hipócritas. Os génios?... Deixá-los onde quer que estejam. Não é génio quem quer mas aquele que o tempo impõe. Ele é o supremo juiz, não o espalhafato em prol deste ou daquele conforme a capelinha ou clã a que pertence. Eugénio não precisou de igrejinhas, a sua voz impôs-se por si própria, por ser uma voz que fala sem desprezar o silêncio, a pausa, a melodia e o timbre.
Deambulei um pouco mais.
Ao fundo, um amontoado de livros de rabo para o ar agrediu-me os olhos e a alma. “Outlet – 70%”. Era o crematório da livraria. Livros expostos numa pilha horizontal desorganizada. Passei rápido pelas lombadas. Não indicavam existência de poemas, nem bons nem maus.
Que sintoma? Que leitura? Tudo o que dissesse não passaria de especulação. Mas aquele arrazoado de moribundos gritava-me no rosto bofetadas de raiava – eram muitas árvores a menos e dizemos nós gostar de poesia.
Saí.

"Nas palavras
Respiro a terra nas palavras,
no dorso das palavras
respiro
a pedra fresca da cal;
respiro um veio de água
que se perde
entre as espáduas
ou as nádegas;
respiro um sol recente
e raso
nas palavras,
com lentidão de animal."

Eugénio de Andrade

Poeta português falecido este ano.

2005
José Manuel Marinho
Enviado por José Manuel Marinho em 18/10/2005
Código do texto: T60981

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Manuel Marinho
Portugal
39 textos (1765 leituras)
1 e-livros (29 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:51)
José Manuel Marinho