Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No barzinho soturno



Barzinho soturno em Madureira com Maria Augusta, próximo a sua casa, a duas esquinas do rio Feliz. Barzinho soturno, mas pelo menos sem música barulhenta nem televisores ligados em novelas — podia-se conversar a noite toda de maneira civilizada.

Pedi minha indefectível água tônica (sem cubos de gelo nem limão), enquanto ela, espantosamente fiel aos tempos da Aliança Francesa — já se contam quase trinta anos —, ia de cerveja e pepino. Não riam. Maria Augusta não bota uma gota de álcool na boca sem ter junto de si um pratinho com rodelas finíssimas de pepino, ou cucumis phallus, disse-lhe eu, na classificação escatoterapêutica de Freud.

Essa não era nova para minha amiga. Limitou-se a sorrir e mudar com delicadeza de assunto, corando um pouco. Bom sinal. De qualquer modo, eu não estava ali para reconquistar nenhuma paixão da juventude. Já que a Internet propicia, muitas vezes pela mais pura casualidade, este ou aquele reencontro essencial, não quero outra vida senão me esbaldar sentimentalmente com pessoas amigas que tinham sumido do mapa sem deixar rastro, e que agora ressurgem por artes da grande rede.

O lance do pepino, por exemplo, foi uma senhora evidência de autenticidade. Assim que a parceirinha de copo deu a primeira mordida numa rodela, salivei os lábios como um vira-lata ansioso e faminto, lembrando-me do nosso primeiro beijo nos jardins da Aliança do Méier, depois de alguns chopes com o tal tira-gosto num boteco da rua Oliveira.

Não lhe contei nada a respeito. O importante era que estávamos naquele barzinho soturno como bons companheiros que nunca se tivessem separado, sem o menor fiapo de estranheza, cada qual curtindo com delicia a cara do outro. A dela, linda.

Luiz Guerra
Enviado por Luiz Guerra em 23/08/2007
Código do texto: T619632

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Guerra, www.galhodearruda.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Guerra
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 69 anos
166 textos (17254 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 11:23)
Luiz Guerra