Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma passagem para Salzburg

Fazia um curso em Viena e, evidentemente, não falava alemão...
É uma coisa interessante, vc pode ficar em um pais estrangeiro sem entender uma palavra da língua mas em pouco tempo  aprende a pedir comida, bebida e a atender às necessidades básicas. Embora  não entenda nada do que estão falando, parece que tem um sexto sentido que ajuda a resolver problemas. Para o trivial funciona perfeitamente bem, chegava a bater papo com um cara que tinha um carrinho de cachorro quente perto do hotel onde eu morava, tudo na mímica.
As vezes, entretanto,  a coisa complica e ai não há sexto sentido que resolva.
Isto vem a propósito da minha ida pra Salzburg num final de semana.
A Europa não fez a besteira que fizemos de destruir as linhas de trem (eles são atrasados lá...) e você se desloca de trem pra qualquer cidade. Claro que existem trens e trens. A primeira classe realmente merece respeito, mas, estudantes,  profissionais liberais pobres e vagabundos, andam de segunda ou terceira classe que  não desmerecem em nada a viagem e não tem nada a ver com os nossos queridos trens da Central. Em Viena, as estações são verdadeiros  pontos de encontro, agencia de  correios, bancos, locais de compras de souvenirs e informações turísticas. Uma babel...
Pois é chegou uma sexta feira e eu resolvi que iria conhecer Salzburg, passar o fim de semana lá, conhecer  o castelo, as margens do Danúbio, casa de Mozart, enfim fazer um roteiro turístico cultural que aquele pedaço  do mundo oferece.
O meu problema maior era de comunicação. Hospedagem era fácil. Na central de turismo no Ring,  em Viena, escolhi e reservei o hotel em que iria ficar paguei a diária, tudo certinho como em qualquer lugar civilizado. O problema agora era na estação, a compra da passagem (depois eu soube que podia comprar passagem na central de turismo mesmo, mas matuto  nasceu pra sofrer....)
 Meu instrutor, me deu algumas lições de como eu deveria fazer e falou direitinho:
 Chegue no guichê e fale: - eine ticket fur  Salzburg.
Decorei a frase repetindo à exaustão:- eine ticket fur Salzburg várias vezes.
 Estava até orgulhoso da pronuncia germânica. Achei perfeita. Cheguei na estação as 16 hs mais ou menos e segui as placas que indicavam Salzburg. (isso era fácil)
 Tinha uma pequena fila no guichê, algumas pessoas com esquis na mão, gente de perna engessada (queda de esquis) essas coisas.
Chegou minha vez e eu orgulhosamente disparei:
_-eine ticket fur Salzburg!
O cara me olhou calmamente e falou meia dúzia de palavras em alemão.
-Eine ticket fur Salzbug! respondi, já menos confiante. Outra vez a resposta, agora já meio irritada
.-Eine ticket fur Salzburg, balbuciei...
A fila atraz de mim começou resmungar e o cara do guichê falou alguma coisa que soou diferente do que estava falando antes, acho que me xingou...
Ai apareceu o anjo bom..
Sempre aparece um anjo bom nessas horas e esse veio representado por uma simpática velhinha austríaca, autentica vovó, que me perguntou em inglês.
 -Posso ajudar?
-Sim, respondi, eu quero uma passagem pra Salzburg mas parece que ele não entendeu.
-Entendeu sim, respondeu ela, todo mundo entendeu.
-Ele está perguntando se é de primeira ou de segunda classe.
Claro que comprei de segunda classe. É mais barato...

ZéCarlos
Enviado por ZéCarlos em 22/10/2005
Reeditado em 23/10/2005
Código do texto: T62124
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ZéCarlos
Cabedelo - Paraíba - Brasil
15 textos (3222 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:34)
ZéCarlos