Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Um dia especial pra mim


Hoje completo sessenta e dois anos de existência. Uma vida? Não acredito que tenha já vivido uma vida mas, apenas meia vida.

Esta manhã ao receber os cumprimentos do meu marido, da minha filha, do meu neto – os que estão diariamente comigo- fiquei pasma. Completei sessenta e duas primaveras! E parabenizo-me também. Egoísmo? Individualismo? Narcisismo? Também não. Apenas uma mulher que está feliz por ter tantos anos nas costas e poder amar , marido, filhos, irmãos, tios, primos, vizinhos alunos..., trabalhar, protestar, criticar, dançar, pular, cuidar dos netos, da casa, dos alunos...Poder fazer a faxina da própria casa, lavar a roupa da casa, preparar o alimento de todos com muita alegria e amor...preparar as aulas diárias com muito empenho carinho e dedicação. Sou Professora e carrego comigo por isto um orgulho inimaginável.

Sessenta e duas primaveras... flores perfumadas enfeitaram estes anos... Nesse jardim, uma predileta – o amor-perfeito- coloridos diversos, pequenas, quase invisível que enfeita o meu traço maior que foi sempre o amor e a dedicação a todos e a tudo.

Nunca quis a guerra, ou a discórdia, embora existiram e existem em vários momentos, mas que em poucos minutos fazem parte do passado, esquecendo-me que eles passaram por mim. Deixaram marcas em alguém? Com certeza. Também fiquei marcada. Não há quem entre numa luta e saia carregando apenas os troféus, pois estes carregam os traços da guerras que nos levaram a vencer: as marcas ficam fazendo parte da luta, e cada vez que olhar esse troféu virá à tona como foi que ele chegou às suas mãos tão vitoriosas!

Hoje é muito especial. Um dia de especial valor. Foi o dia em Deus me entregou aos senhores Benedito e Thereza para que me encaminhassem novamente nos trilhos da vida de amor, de amizade, de retidão,; para que aprendesse com eles e por eles como ser gente, como ser um ser humano. Acredito que eles se saíram muito bem pois a tarefa não era só deles. Eu também me comprometi a mudar a vida e levar uma  vida de amor, de tolerância. Sei também que não venci todos os meus obstáculos: os meus próprios, da minha individualidade, do meu eu interno. É especial para eu poder fazer uma catarse, meditar.

Não vou prometer aos meus pais – estão já em outra dimensão- nem a Deus, que mudarei de hoje em diante- carrego comigo séculos de defeitos impossíveis de correção em apenas sessenta anos. Sei e disto tenho plena certeza que Deus me dará uma outra oportunidade de vencer-me e vencendo-me melhorar os que estarão próximos a mim.

Sessenta e duas primaveras nesta vida...Acredito que nesta fui melhor . Por isso me parabenizo ao mesmo tempo que recebo os parabéns dos meus queridos filhos, netos, amigos.
Nesta manhã recebi o som do vento de forma diferente, o som das músicas que o meu neto ouve, o som da TV, a batida da faca na pedra, a água caindo do chuveiro, tudo era o som da VIDA, que vivo em toda a plenitude e correção.

Recebi o beijo divino, que entrou pela janela do meu quarto, no ar que estou inalando; recebi o dom da vida e este é o meu maior presente. Vida de meus filhos, vindo do amor pelo meu marido, a vida de meus netos. Preciso de mais?
MVA
Enviado por MVA em 26/08/2007
Reeditado em 28/08/2007
Código do texto: T624493
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o meu nome e meu site: www.marlenevieiraaragao.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MVA
São Paulo - São Paulo - Brasil
1950 textos (194359 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 22:00)

Site do Escritor