Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

[Marechal Hermes, 28.8.2007]

Os bem-te-vis que demoram há séculos em nosso condomínio cantam a qualquer hora do dia claro. Agora mesmo, 11h30, lá está um casal, no telhado do prédio defronte ao meu: ele, sem a menor cerimônia, cagüetando todo mundo; ela, a siririca, fazendo o baixo. De tempos em tempos, indiferentes ao olhar do cronista, entregam-se aos beijos — beijos de biquinquim, no dizer riobaldo-tatarana. Uma vizinha contou-me que um dia desses um gavião safado bateu asas para os lados da siririca. O macho viu tudo, lógico, e enfrentou o grandalhão como um davi-das-alturas. Nenhuma surpresa. Nos últimos três anos os bem-te-vis vêm defendendo o seu território nos telhados de Marechal Hermes contra a invasão dos quero-queros, em plena fuga do verão sulino. Mas já se notam alguns exemplos de coexistência pacífica. Parece que os que chegam sabem realmente o que querem, e vão ficando, ao passo que a boa turma pitangus sulphuratus começa a fazer vista grossa, como é hábito entre seus primos bem-te-vizinhos, à aproximação dos barulhentos caradriiformes. Dou a maior força. Aguardemos os acontecimentos.

Luiz Guerra
Enviado por Luiz Guerra em 28/08/2007
Código do texto: T627998

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Guerra, www.galhodearruda.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Guerra
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 69 anos
166 textos (17253 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 11:46)
Luiz Guerra