Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E os quarenta ladrões

E os quarenta ladrões
 
Bem para começo de história, ou será estória, denunciaram os quarenta ladrões. E, uma dúvida que não quer calar, e o Ali Babá? O que não podemos fazer é deixar o fatal esquecimento embotar nossas consciências. È preciso sempre que possível, lembrar de nosso algozes. Daqueles que trucidam nossas esperanças, que retalham a democracia e a transforma em comédia recombolesca...
 
E, a quadrilha inexoravelmente formada, ainda age, pressiona assessoria jurídica, pressiona pareceres, e pretende se inocentar a qualquer custo.
 
É bem na verdade que só serão efetivamente culpados quando finalmente a sentença condenatória transitar em julgado, o que pelas minhas contas, ainda demorará algum bom tempo.
 
Não podem faltar elementos para que o processo criminal consiga pelo menos punir oficialmente os culpados e, dê uma lição ao país inteiro.

De que é possível pelo menos confiar em nossa mais alta corte judiciária, na imparcialidade de seus crivos e, sobretudo, na necessidade de garantia justiça e segurança social e política.
 
Quando não teremos mais inveja dos países europeus que punem efetivamente os corruptos, e os ladrões são devidamente proscritos e exilados do seio social. E, por causa da cobiça e da inveja que então Sartre disparou acertadamente que: -  o inferno é o outro!
 
O inferno é confiar temendo que tudo seja em vão. Que as providências tardem, e de tão velhas já não sirvam para punir exemplarmente todos que mereçam, principalmente no caso do “mensalão”, por nutrir fervorosamente a miséria nacional.

Só ainda não entendo como isentar de culpa o próprio governo, se tudo ocorreu justamente com seu inocente apoio. Pelo menos teríamos a negligência como indicador de culpa. Ou mesmo culpa in omittendo.

Mas, esperemos, um dia, se dieu voulèe, conseguiremos ter a queda da Bastilha, e não comeremos brioches, mas apenas pães endurecidos por nossa história.

Rezemos pelo fim do mensalão, pelo fim da miséria nossa de cada dia e, pela ressureição da democracia  e da paz social.

Gisele Leite
 
Gisele Leite
Enviado por Gisele Leite em 29/08/2007
Código do texto: T629136
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gisele Leite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1650 textos (3729610 leituras)
35 áudios (5080 audições)
25 e-livros (143648 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 21:22)
Gisele Leite

Site do Escritor