Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Hoje são vovós

Não pense que não fui mocinho. Não tive as namoradas, que hoje são vovós. Não tive ciúme. Não chorei por amor. Não escrevi cartas românticas. Não fiquei esperando no portão, o grande amor. Não fui apaixonado. Não mandei flores. Estou envelhecendo, nem por isso não entendo dos mesmos sentimentos.  Fui mocinho, como vocês são agora. Fui bonito, fui faceiro. Por vezes, volúvel por inteiro. Amei como todo mundo, os amores que surgiram em minha vida. Estou numa outra fase, ou seja, a fase da prudência, da sapiência. Não me enxergue de outro jeito. Nem pense que estou senil. Sofro, tenho ciúme. Sou capaz de gostar, amar alguém. Minha aparência observo no espelho. Sei que tem marcas profundas. Prefiro agora, que me respeite pelo que sou por dentro. Pelos meus poucos cabelos. Pela falta de agilidade. Não me descaracterize como homem. Sou capaz, de sentir o maior dos sentimentos, que é de amar.




atanazio mario fernandes Lameira
Enviado por atanazio mario fernandes Lameira em 24/10/2005
Código do texto: T63105
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
atanazio mario fernandes Lameira
Laguna - Santa Catarina - Brasil
364 textos (12407 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:53)
atanazio mario fernandes Lameira