Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEMBRANÇAS DE AMIGOS CIGANOS


     Ao ankir (começar) este texto, de kelava (eu jogo) com a bak (sorte) e peço a Devel (Deus) que bibaxt prejial the nani yovavel (azares, doenças e má sorte vão embora, sem voltarem jamais). Eu li este texto um tempo atrás em um livro da grande  escritora Sally Liechocki.
     Mas,neste momento,  veio lembranças de época que morava ao lado de uma família cigana. Pessoas interessantes, cultura diferente, desconfiados, amigos e amigas, fez com que  eu entendesse que  as histórias fantásticas e estranhas contadas sobre os Ciganos nem sempre são verdadeiras.
     Lembro-me que existia uma brincadeira entre nós crianças que era olhar a "dama do poço" e toda a vez que olhavamos dentro do poço e conseguiamos enchergar a nossa imagem, pensavamos que era a habitante das profundezas da água e saiamos gritando.
     Tinha também uma senhora, à cigana mais velha do grupo que tomava conta das crianças, afastava doenças através de rezas, porções, inclusive quando estavamos brincando ela gritava,  Bubastis! Bubastis!
     Acho que era isso, até hoje não sei o que é...
     Contavam também que tinha um tal de jejum negro, quando alguém era roubado, pegava uma galinha negra e junto com ela se fazia sete dias de jejum. No sétimo dia, o ladrão entragava o dinheiro infalivelmente, uma vez eu tentei fazer isso e fiquei foi com muito piolho de galinha em todo o meu corpo.
     Interessante quando tinha festa, nossa!!! eram dias e dias sem parar, todos bebiam, comiam e brigavam, tinha que ter muito cuidado quando chegava outra tribo e dava algum problema, tudo muito interessante.
     Lembro-me de um arroz com carnes, bolinhos pequenos de mandioca, peixe na cinza, churrasco de sal grosso e ervas, delícias e delícias.
     Achava interessante as roupas, as danças e sempre eles falavam da Nossa Senhora de Guadalupe. Conto agora porque parei de ir ter-me aos amigos Ciganos, lembro-me de uma menina de olhos claros, cabelos vermelhos,  brigona, de nome: sarah, que me apaxonei e ela também. Como não existia condições de namoro, eu (gadjon) me afastei e carreguei guardando este amor Cigano de infância por muitos e muitos  anos.
      Saudades, espero que você Sarah durante  esse tempo,  tenha absorvido toda a proteção e energia para o seu  corpo, luz para os seus olhos, força e brilho para o seu espírito e amor, muito amor para você e todos de sua "familja". Hoje eu sinto mais aliviado com minha "familja" e consciente que este amor Cigano foi apenas um momento, um lindo momento. Este povo da viagem aplica uma Justiça bem Justa!!!! me lembro finalmente de um provérbio  que dizia.. "Quando voce estiver andando pela rua, terá sorte se um cigano encontar.."

     Desejo  a você leitor que sua vida seja sempre um processo de eterno e feliz recomeço... paz e harmonia!!!!  
Kulayb
Enviado por Kulayb em 03/09/2007
Código do texto: T637310

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Kulayb
Goiânia - Goiás - Brasil, 61 anos
1155 textos (55799 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 04:31)
Kulayb