Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALGO SOBRE INVEJA


Será a inveja um sentimento mesquinho?
Não deixa de se-lo, mas existem certas invejas
que são boas... Podemos invejar algo, desejando
chegar lá, mas sem prejudicar ninguém...
Osculos e amplexos,
Marcial

ALGO SOBRE INVEJA
Marcial Salaverry

Inveja é um sentimento que não devemos invejar de quem o sente.
Pode-se dizer que existem dois tipos de inveja.
Pode-se sentir uma inveja saudável, um desejo que pode surgir, por exemplo, ao vermos alguém fazendo alguma coisa muito boa, uma viagem por exemplo, que muito gostaríamos de fazer e sentir aquela vontade de estar lá no lugar dele. Por exemplo, cada vez que o Amyr Klink sai para um de seus passeios, eu penso que gostaria de estar lá no lugar dele.
Quando vemos alguém fazendo sucesso na vida, é normal pensarmos que gostaríamos de estar lá, fazendo sucesso também, e essa é uma inveja saudável, é o desejo normal de quase todos, e acabamos compartilhando esse sucesso, e ficamos satisfeitos ao ver que pessoas que lutaram por seus objetivos conseguiram "chegar lá". É saudável sentir aquela pontinha de inveja, pois é inerente do ser humano o desejo do sucesso.
Contudo, o normal é sentir essa pontinha de inveja, sim. Só que não deixamos de aplaudir aquele que venceu. Reconhecemos seu mérito e o que nos cabe fazer é aprimorar ainda mais nosso trabalho para alcançar o mesmo êxito. Essa é a inveja saudável. A vontade de conseguir sucesso, sem destruir o sucesso alheio.
Por outro lado, existe aquela inveja perigosa, destrutiva. Pessoas de sentimentos mesquinhos, que não suportam ver quem quer que seja subir na vida. Fazem acusações descabidas, procuram denegrir o sucesso alheio, atribuindo-o a qualquer coisa, menos à capacidade de quem conseguiu o êxito. É lamentável.
Quando tenho conhecimento de casos como esse, a primeira coisa que sinto é pena, pois pessoas assim não conseguem ser felizes, não conseguem viver em paz. Preocupam-se em acompanhar o que se passa na vida de outras pessoas, saber o que estão conseguindo, saber de que maneira conseguem ter sucesso, e se ocupam tanto da vida alheia, que se esquecem de seus objetivos, prejudicando-se a si próprias.
Arquitetam vinganças mesquinhas, procuram denegrir a imagem dessa pessoa, procurando atribuir seu êxito a fatos obscuros, a tramóias, e nunca aceitando que o sucesso realmente se deve à competência de quem soube fazer bem seu trabalho e justamente por isso "chegou lá".
Esquecem-se de que o tempo que estão perdendo com essa sua preocupação nociva, estaria sendo muito mais bem empregado com sua própria carreira, procurando aprimorar a execução de seu trabalho e, melhorando seu desempenho, podendo assim, alcançar a mesma posição que sua "vítima".
Essa é a inveja mal direcionada, destrutiva. Essas pessoas que, por invejar coisas que outros tem, chegam a desejar desgraças para que esses outros percam o que conseguiram. E como isso é triste. Esse tipo de sentimento, além de destrutivo, é auto-destrutivo, pois esse tipo de gente se esquece de lutar para conseguir as coisas, e somente quer conseguir, e de qualquer maneira, tomar posse do alheio. Ou fica esperando que os azares da vida tirem o que o outro conseguiu.
Enquanto isso, se esquece de sua própria vida. Esquece-se de lutar, de viver, só obsecado pelo sonho irrealizado. Tais pessoas só podem ser dignas de pena, pois só sofrem,  e o que é pior, só fazem sofrer.
Que prazer sádico será esse? Acredito que só um tratamento psiquiátrico poderá resolver esse problema, e é o que aconselho a quem se enquadrar nesse contexto. Que ao invés de se preocupar com o êxito alheio, que vão à luta, que procurem trabalhar mais e melhor, para assim conseguirem o mesmo sucesso.
Vamos experimentar? Ou preferem o tratamento?
E não é preciso sentir inveja para ter UM LINDO DIA. Isso, todos podemos ter, apenas desejando o mesmo a todos.
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 06/09/2007
Código do texto: T640813
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 78 anos
20982 textos (2073650 leituras)
3 áudios (888 audições)
6 e-livros (2159 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 18:21)
Marcial Salaverry