Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Par ou Ímpar?

    A única certeza que temos nesta vida,ou desta vida,é a morte.
Enquanto respiramos a cada segundo, estabelecemos um paralelo desenfreado com a morte.Porque nos descabelamos diante de problemas,que aos olhos de outros parecem ínfimos e aos nossos nos deixa impotentes ,até mesmo de seguir em frente.
    Por vezes me deparo com situações onde as palavras(PALAVRAS TÊM UMA FORÇA DESCOMUNAL), não cabem.Elas dão-nos um sentido de que aquele tipo de situação deveria ser unicamente para os feios.Estou me referindo a FEIO mesmo,àquele que é antônimo de bonito;belo.
   Quantas e quantas vezes,você não deve ter ouvido as expressões:"era tão bonito(a)!!!";coitado,tão bonito(a)!!!”“.
Será que você neste momento está se dando conta em qual situação estas formas expressas são pronunciadas?
   Sempre que as ouvi estavam ligadas a crianças ou jovens que tiveram a vida transposta para algum outro plano ou tiveram sua aparência física transmudada de alguma forma.
   A impressão que se tem, é de que estas desgraças só foram feitas,ou deveriam no máximo,serem reservadas aos feios.
   Não estou aqui levantando a bandeira física do ser humano,mas sim da força das palavras,do sentido que podem atingir-nos.
   Esta é uma das expressões que me deixam perplexa,não que eu seja uma expert em usar sempre, as palavras adequadas,mas porque esta frase mexe muito comigo,pois sempre que a ouço me pego pensando:     
    __Então se fosse uma pessoa feio(a) seria como se não existisse problema?
   Creio que se deve refletir melhor no que profere.A vida é uma caixinha de surpresas,e o homem é escravo de seu verbo.
   Nossos sentimentos maiores,nossos valores maiores,nossas condutas maiores,certamente não estão ligadas ou calcadas num pensar que as desgraças, são "dádivas" dos feios.A desgraça física;mental ou moral pode viver em cada ser humano de beleza ímpar ou de feiúra par.
SoLuNaMaRoSa
Enviado por SoLuNaMaRoSa em 07/09/2007
Reeditado em 10/04/2010
Código do texto: T642918

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rosa Mª A. Campos_SoLuNaMaRoSa_http://recantodasletras.uol.com.br/autores/solunamarosa). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SoLuNaMaRoSa
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1369 textos (36768 leituras)
55 e-livros (4612 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 03:54)
SoLuNaMaRoSa