Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE ESTÁ ACONTECENDO NA AMÉRICA LATINA?

Que diabos está acontecendo com a América Latina, pelo Amor de Deus? Qual raio de titica é esta que preenche a massa encefálica de lideres facínoras como Evo Morales, Hugo Chavez, Fidel Castro e Raul Castro?
O mundo caminha cada vez mais para uma democracia plena, com raríssimas exceções asiáticas e africanas e o Novo Mundo, continente jovem, menino, infante, que poderia colher frutos de todas as outras desordens mundiais, insiste em deixar crescer líderes lunáticos e palhaços que pensam, ou querem que saibamos, que agem em nome de seus povos.
Eu não imaginaria jamais que com a chegada do novo milênio o odor putrefato vindo de Cuba e Nicarágua pudessem chegar e contaminar tantos outros povos ou que aquela idéia de “revolução” pudesse perdurar por tanto tempo. Afinal de contas, os pais desta porcaria revolucionário não morreram, mas já aderiram a modernidade e passaram a adotar um novo modelo de vida social. Somente Cuba e China ainda insistem naquela questão ultrapassada e insensata de “socialismo” do tipo fechado e mesmo assim, a China, mãe prostituta das nações reacionárias já começa a por as suas manguinhas de fora e apresentar ao mundo seus novos milionários, além do governo é claro. Cuba, que insiste em andar na contra-mão dos fatos e da história ainda não acordou do sonho antigo dos tempos que ainda existia a União Soviética, Alemanha Oriental e a China ultra-secreta.
Com o advento destes jogos Pan Americanos sediados no Rio de Janeiro, o que nós, povo brasileiro vimos foi um mar de dinheiro gasto em nome do fetiche de termos também uma Copa do Mundo de Futebol e uma Olimpíada em nosso país; aliás, um mar de dinheiro que ajudou centenas de empresários muito ricos e outra dúzia de políticos petistas, com certeza e que poderia ser usado em benefício do povo humilde que não tem esgoto, água encanada ou luz elétrica nas suas favelas esquecidas.
Também vimos o show de ignorância onde atletas de Cuba desertaram de suas delegações para tentarem a vida num país menos miserável do que o seu. Conta à imprensa que foram quatro, mas segundo informações de internautas, foram mais de quinze que deixaram a Vila Pan Americana e ganharam as ruas do Rio de Janeiro para com certeza, tentarem ingressar em algum emprego comum, que também com certeza, é melhor do que ser cubano e ter de morar lá.
Um dia antes do final dos jogos, depois de uma ordem expressa vindo da ilha da fantasia caribenha, todos os atletas cubanos tiveram que retirar seus pertences da vila para serem amontoados em ônibus, levados até o aeroporto e despachados como mercadorias comuns pertencentes ao Sr. Fidel Castro Ruiz.
Os garotos e garotas de Cuba que vieram ao Brasil mostrar seus talentos desportivos foram flagrados pela Rede Globo vendendo seus uniformes por 50, 100 e até 150 dólares para poderem voltar com um padrão menos ridículo do que o costumas. Isso é vergonhoso para uma nação que diz ajudar seu povo ou que cita aos ventos revolucionários que todos são iguais e que não há fronteiras fechadas.
Tudo em Cuba é uma desgraça. Carros, casas, ruas, estradas, supermercados, comida, gasolina e aviões. As únicas coisas que servem de exemplo na ilha são os hotéis construídos pelos magnatas americanos e europeus que Fidel insiste em dizer que é do povo. Do povo uma ova...O povo cubano serve no máximo para ser funcionário destes empreendimentos e funcionários dos mais maus pagos!
Somente para informação de meus leitores, Cuba possui bons supermercados, bons carros, bons hotéis, bons bares, bons restaurantes e boas praias, mas o acesso a estas coisas está liberado apenas para turistas e NINGUÉM MAIS. Falo isso por conhecimento próprio. O povo não chega nem perto disso, mesmo que tenha conseguido algum dinheiro clandestino. O cubano trabalha, trabalha, trabalha e tudo que consegue poupar, alguns míseros pesos cubanos, tem que ser dividido entre seus irmãos e sua pátria, ou seja: eles são escravos do sistema de maluco que Fidel insiste em manter.
Este tipo de episódio que estamos acostumados e ver nos telejornais, onde cada vez mais os cubanos que conseguem sair da ilha para alguma apresentação artística ou desportiva, é o verdadeiro reflexo de que o país não presta, pelo menos com o modelo político implantado desde 1959.
Os que ficaram no Brasil, como eu já disse, tentarão uma vida no esporte, mas acabarão se tornando garçons ou ingressarão em alguma profissão desvalorizada, o que para eles ainda é melhor do que viver em Cuba.
Pela imprensa brasileira chega a notícia que cerca de 160 pessoas da delegação geral de Cuba ficaram no Brasil para a festa de encerramento, o que não está oficialmente confirmado pois eu estou escrevendo esta crônica exatamente as 12:42h.
De um modo ou de outro é vergonhosa a situação e alguém de mais influência do que nós, deveríamos informar aos Senhores Fidel e Raul Castro de que seus atletas não são propriedades do Estado e que os tempos de escravidão de seres humanos já não existe, desta forma, há dezenas de anos.
Pela explicação do Governo de Cuba na versão eletrônica do seu jornal estatal, O Granma, Fidel informa que seus atletas foram corrompidos pela delegação alemã. Segundo o ditador, Cuba faz esforços e investimentos nos esportes nacionais, formando o que eles chamam de melhores atletas do mundo e que, não deixa claro mas faz-se entender, que estes atletas são uma espécie de propriedade da ilha.
Na minha humilde concepção, que nada entendo de esportes ou do que se passa na cabeça de um ditador, mas no meu ponto de vista, não houve nenhuma preocupação com corrupção dos atletas e sim a vergonha de mostrar ao mundo que seus atletas já não são mais os mesmos. Por conseqüência, o mundo saberá que a ilha de Fidel também já não é mais a mesma. Vejam o quadro de medalhas de ouro de Cuba nos últimos anos:

1979 – 64 ouros; 1983 – 79 ouros; 1987 – 75 ouros; 1991 (Havana – não houve a participação dos atletas americanos) – 140 ouros; 1995 – 112 ouros; 1999 – 70 ouros; 2003 – 72 ouros e 2007 – 59 ouros.

Vejam que Cuba somente regrediu nos destaques dos pódios; o lugar mais alto do pódio ficou menos ocupado nos últimos anos pelos atletas cubanos, enquanto outros países menos destacados como formadores de atletas, como o Brasil, aumentaram a cada ocorrência de Pan Americano o seu numero de ouros.
Vale lembrar que Cuba é um dos menores paises da América e que quase toda a sua população jovem pratica esportes e isso é um motivo de orgulho até para mim, mas fazer disso uma obsessão a ponto de puni-los já é coisa demoníaca.
Cuba ainda mantém alguns destaques como os Charutos, turismo e medicina, e isso jamais a fará destacada ao nível de um país emergente e se quiser retornar ao destaque esportivo, terá de deixar esta história imbecil de se inimiga dos Estados Unidos e dos países que fazem comércio com os estadunidenses; ou será mesmo que Fidel acredita que consegue manter-se sozinho, isolado e sem tecnologia por mais alguns anos?
Cuba cai aos pedaços e nada na ilha cheia a novo ou desenvolvido; não tem bancos comerciais e por conseqüência o seu dinheiro não vale nada, não tem computadores, televisores, rádios ou carros que funcionem de modo normal. Qualquer coisa que seja levado para os cubanos, que não sejam charutos, é tido por eles como artigo de luxo a exemplo de uma caixa de aspirinas que eu troquei por um belo jantar com lagostas frescas e peixe grelhado. Falar de Cuba é como me fazer lembrar da Albânia ou da Alemanha Oriental e ambas sucumbiram aos preceitos capitalistas.
Fidel está quase morto; seus ideais revolucionários morreram há anos e seu irmão, um néscio qualquer, que pensa que é ditador, não imagina a porcaria que está tentando perpetuar e custas de vidas cubanas.
Veja a imbecilidade que Fidel disse que escreveu em seu jornal, para falar sobre o episódio de deserção no Brasil:

O Brasil substituto dos Estados Unidos?
 (Traduzido pela Equipe de Serviços de Tradutores e Intérpretes do Conselho de Estado — ESTI)
HÁ muito pouco falei a respeito do roubo de cérebros, algo repugnante.
 Pouco depois apareceu um bom atacante da equipe cubana de handebol vestindo o uniforme de uma equipe profissional de São Paulo.
  A traição por dinheiro é uma das armas prediletas dos Estados Unidos para destruir a resistência de Cuba.
 O atleta cursava os estudos superiores; se formaria na Licenciatura em Educação Física e Esportes, um trabalho digno. Suas receitas são modestas, mas sua preparação profissional é altamente apreciada; seja  qual for o esporte e sua especialidade, o mesmo se são capazes de atrair muito público e publicidade comercial, ou não atraem nenhum, são úteis para o desenvolvimento humano.
 Aqueles que solicitaram asilo brasileiro fazem-no quando os Estados Unidos declararam há muito pouco que não cumprirão as cifras exatas dos acordos migratórios que subscreveram com nosso país. Baste assinalar que dos quase duzentos atletas e treinadores que participaram na primeira semana das competições dos Pan-americanos, faltaram um jogador de handebol e um treinador de ginástica.
  Não vou dizer por isso que a equipe de handebol de Cuba era melhor do que a excelente equipe do Brasil e seus formidáveis atletas, contudo a delegação cubana recebeu um golpe moral baixo nos Jogos Pan-americanos com essas solicitações de asilo político. Puseram a equipe cubana fora de combate antes que começasse a luta pela medalha de ouro.
  No passado domingo, 22 de julho, ao meio-dia, recebemos a triste notícia de que dois dos mais relevantes atletas de boxe, Guillermo Rigondeaux Ortiz e Erislandy Lara Santoya, não se apresentaram à pesagem. Simplesmente receberam nocaute com um golpe direto no queixo, faturado com notas norte-americanas. Não fez falta nenhuma contagem de proteção.
  Observando os primeiros combates em Rio exclamei que nossos pugilistas lutavam com tanta elegância e domínio técnico que convertiam em arte seu rude esporte.
  Na Alemanha existe uma máfia que se dedica a selecionar, comprar e promover pugilistas cubanos nas competições esportivas internacionais. Usa métodos psicológicos refinados e muitos milhões de dólares.
  Apenas três horas depois, a vitória da cubana Mariela González Torres na Maratona, um clássico do esporte Olímpico que fez com que percorresse mais de 40 quilômetros, compensou com acréscimo a traição e inscreve com letras de ouro sua façanha na história esportiva de sua pátria.
  O povo de Cuba deve honrar o exemplo heróico de Mariela, nascida na oriental província de Granma, cujas taxas de mortalidade infantil e materna foram, em 2006, de 4,4 em cada mil nascidos vivos e 11 em cada 100 mil partos, melhores que as dos Estados Unidos. Em seu município, rio Cauto, com 47 mil 918 habitantes, foi zero em ambas as duas.
  Depois de tudo, Cuba dispõe de milhares de bons treinadores ou técnicos que trabalham no estrangeiro com atletas que não poucas vezes ganham medalhas de ouro competindo contra os nossos. Algo mais: existe uma Escola Internacional de Professores de Educação Física e Esportes onde cursam estudos superiores mais de 1.300 jovens do Terceiro Mundo. Há uns dias graduaram-se 247. Não cultivamos o chauvinismo nem o espírito de superioridade. Apoiamo-nos na ciência e nos conhecimentos, sobre essas bases lutamos para criar os valores éticos de uma mente sadia num corpo sadio.
  Não existe nenhuma justificativa para solicitar asilo político. Não se importam com que o Brasil não seja seu mercado definitivo. Há países ricos do primeiro mundo que pagam ainda mais. As autoridades brasileiras declararam que os desertores deverão provar a necessidade real de asilo. É impossível demonstrar o contrário. De antemão conhece-se seu destino final como atletas mercenários numa sociedade de consumo. Acho que ofenderam o Brasil utilizando os Pan-americanos como pretexto para se autopromover. De qualquer jeito consideramos úteis as declarações das autoridades.
 Desejamos que o Brasil, país irmão da América Latina e do Terceiro Mundo, obtenha a honra de ser sede de uma Olimpíada.
Fidel Castro Ruiz - 23 de julho de 2007 - 18h52.

Até quando será que veremos ainda uma América Latina tão atrasada, retrograda e a mercê de ridículos tiranos?
Fidel deseja que o Brasil repatrie seus atletas para no mínimo serem torturados e no máximo, presos até a morte pois foram previamente condenados por alta traição ao Estado cubano e, do jeito que o Sr. Lula age como puxa-saco, eu não duvido que prendam estes pobres cubanos, algeme-os e os ponha num avião da FAB que os levará direto à Havana para o ato da santa inquisição comunista pública.
É incrível como um simples ato de uma pessoa não querer voltar pra casa,  só porque ela é suja, imunda, desorganizada, fria e seus pais não são tão amigos quanto deveriam se transformou numa ação de xingamentos e acusações internacionais e o mais incrível é que TUDO QUE OCORRE DE ERRADO COM OS PLANOS DE CUBA é por culpa dos Estados Unidos...


Texto: Carlos Henrique Mascarenhas Pires
WWW.IRREGULAR.COM.BR
Imperador Dom Henrique I
Enviado por Imperador Dom Henrique I em 09/09/2007
Código do texto: T644508
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.irregular.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Imperador Dom Henrique I
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
903 textos (1421143 leituras)
16 áudios (3526 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 06:30)
Imperador Dom Henrique I