Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"TARDES DE INVERNO"



E ainda não desprogramei o despertador…

Meu guarda roupas esta entulhado de ternos que não mais usarei…

Ainda não cancelei aquelas revistas que lia toda semana…

Ainda acordo preocupado pensado na reunião da segunda,

Que não preciso ir mais…

A conta do estacionamento ainda esta aberta…

A do posto de combustíveis também…

Preciso urgente me acostumar que vivo uma nova vida…

Não sou mais escravo do relógio…

Eu não vendo mais horas…

Não tenho mais carnê…

Cheque especial, nem tenho mais necessidades…

Aqueles livros caros que comprava quatro vezes ao ano…

Vou trocar por livros sobre o verde do meu País…

Aquelas revistas técnicas que tinha assinatura…

Vou trocar por revistas de esportes…

Preciso desacelerar meu metabolismo…

A bolsa pode subir ou descer…

Pouco me importa…

Vou pro sitio…

Vou comprar jeans e botas…

Quem sabe um lindo chapéu de cowboy…

Ganhei um cinto de vaqueiro de uma amiga há vinte anos atrás…

Nunca pude usar, mas agora será meu companheiro inseparável…

Vou plantar hortaliças…

Vou criar galinhas e dormir até as dez todos os dias…

Há como perdi tempo pensando em ganhar dinheiro…

Se tudo que me deu e da prazer custa apenas nada…

Vou dizer pra minha amada que a amo todos os dias…

Quero sentir o cheiro dela todas as noites e todas as madrugadas que ainda me restam…

Vou arrumar um belo cachorro, e colocar o nome de amigão…

Vamos fazer longas caminhadas em volta do sitio…

Quem sabe consiga aprender os nomes dos passarinhos…

Vou aprender a linguagem da terra…

Vou andar a cavalo…

Vou sentir o sabor da brisa ao longo do meu corpo preguiçoso…

Vou descobrir a lua como minha amiga e parceira…

Vou construir uma bela churrasqueira para receber aqueles que eu amo…

Nas noites de inverno ouvirei Ray Connif, Tony Bennet, João Gilberto e Caetano, tomarei caldo verde com cuentro e tomarei dois copos de vinho todos os dias…

Como perdi tempo pensando em ganhar dinheiro…

Comprarei balas de coco para meus netos…

Vou construir um play ground para a criançada…

Pintarei de branco todos os pés de arvores da propriedade…

Vou envernizar tabua por tabua do nosso rancho…

Vou dormir com travesseiros de marcela…

Talvez aprenda até a beber pinga…

Vou fazer um fogão de lenha para comer um feijão da roça…

Vou plantar milho para ter de sobra para engordar as galinhas…

Vou ensinar pros meus netos que trabalhar é bom, mas viver é melhor ainda…

Vou fazer um laguinho e criar peixes…

Quando tiver com vontade pego alguns para comer…

Vou aprender mais sobre agricultura…

Talvez plante para comer, mas para vender nunca…

Nunca mais vou ler jornais…

Televisão só para filmes, noticiários também nunca mais…

Vou exercitar a preguiça…

Vou dormir depois do almoço…

Vou apostar que ainda dá tempo para que eu consiga reprogramar minha mente…

Vou extrair sabor do simples, e esquecer de vez compromissos…

Vou quebrar todos os cartões de créditos…

Vou informar para o leão (imposto de renda) que não tenho mais aqueles ganhos…

Vou comer alface da horta…

Vou colher alem de frutas amor, tranqüilidade e harmonia…

Vou saber envelhecer olhando o horizonte…

E quando chegar a hora, vou me deitar como faz o sol nas tardes de inverno!!!

Mas antes de partir, vou deixar a todos jovens loucos por riqueza e poder, que vale a pena ser feliz e não vender seu tempo pois ele é limitado e dinheiro nenhum do mundo paga sua liberdade…

De expressão, de pensamento e de horários…

Vou disseminar o culto a vida simples sem sofisticação e glamour…

A tranqüilidade emocional é muito mais interessante que a financeira…

Olhar para cima e contemplar as maravilhas desta terra…

Esquecer o sensacionalismo pessimista e olhar as flores que enfeitam a vida de todo ser pensante…

Vou praticar a felicidade, vou saborear o amor…





VIDA LONGA A TODOS.

EDSON PAES



EDSON MILTON RIBEIRO PAES
Enviado por EDSON MILTON RIBEIRO PAES em 14/09/2007
Reeditado em 10/05/2009
Código do texto: T652186
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (EDSON MILTON RIBEIRO PAES). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
EDSON MILTON RIBEIRO PAES
São Vicente - São Paulo - Brasil, 64 anos
1448 textos (75442 leituras)
77 e-livros (23647 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 20:58)
EDSON MILTON RIBEIRO PAES

Site do Escritor