Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

H E T E R Ó C L I T O

 




O conjunto de vocábulos que forma uma língua (a portuguesa, por exemplo), propicia um imenso campo para a atividade dos lexicólogos. A resultante do trabalho destes são os dicionários. Abastecer-se nessas vertentes, para a posterior utilização escrita ou oral, deveria ser a prioridade das instituições que ativam a cultura através da informação.
Um dos fatores determinantes da unidade e identificação de um povo é o idioma, ou a língua falada e escrita. Numa dessas incursões ao “amansa-burro”, deparei-me com o verbete título do presente artigo que, dentre outras explicações, consta: “que se desvia da obra de arte. Por extensão, singular, excêntrico, extravagante”.
Pois, outro não é o termo que se pode empregar quando o assunto se refere ao acampamento no mês de setembro no Parque Harmonia, em Porto Alegre
Finda a Revolução Farroupilha, e por ter sido contrária ao movimento que instituiu a República Rio-Grandense, posicionando-se fiel à monarquia, eis que o imperador Pedro II concede à Porto Alegre o título de “mui leal e valerosa cidade”. Hoje esta frase é lida na bandeira oficial da capital dos gaúchos.
Para que não venhamos ter a cada ano, nos estertores do inverno, uma gauchesca adaptação da letra do “Samba do Crioulo Doido”, com a possibilidade da injunção de um fictício caleidoscópio histórico-cultural que, a cada deslocamento espelha nova imagem, é imperioso que as pessoas, ao acamparem naquele logradouro público na margem esquerda à jusante do Guaíba, saibam que o fazem em homenagem à Semana Farroupilha, oficializada em 1964. Entretanto, se aquele conglomerado de galpões for chamado, ou considerado, de “Acampamento Farroupilha”, ter-se-á um contra-senso histórico, visto que, exceto os primeiros meses, na década pós “35”, os farroupilhas jamais acamparam em Porto Alegre.
Homens e mulheres, nascidos no “interior” ou no “asfalto”, podem e devem cultivar nossos costumes campesinos e, não raros, coloniais. Escolher a Semana Farroupilha para externar esses sentimentos é salutar. Mas, montar “Acampamento Farroupilha” em Porto Alegre pode tornar heteróclito esse movimento, com o perigo de “carnavalizar” o mesmo.
 
Cláudio Pinto de Sá
Enviado por Cláudio Pinto de Sá em 14/09/2007
Código do texto: T652933
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cláudio Pinto de Sá
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
163 textos (23589 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 22:00)
Cláudio Pinto de Sá