Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mamu Sol Mamuzinha Lua
 
A noite vem de mansinho com seu manto negro cobrindo tudo enquanto os raios do sol em vão tentam clarear até os últimos momentos talvez na esperança de encontrar sua amada Lua Logo virá também brilhar no céu clareando com o reflexo do amado os amantes da noite. E as estrelas cintilaram no infinito fazendo companhia à lua enamorada e solitária. Nada adianta as serestas que cantores enamorados cantam a ela. Seque altiva por onde seguiu seu amado na incansável busca da felicidade. Tantas mulheres são parecidas com a lua buscando a felicidade no encontro com o amado no desencontro da vida. E nas eclipseis de momentos inigualáveis amam como só um coração apaixonado sabe entregar a doçura do momento. Fusão e metamorfose nada importam a não ser a doce presença do amado. Mesmo que este amor dure pouco e que a noite tome conta novamente nada importa a não ser a esperança do novo encontro que se dará novamente demorado ou não, mas certo e sublime. E a noite seque silenciosa eu diria que pesarosa por não ter doces momentos. Deslizando como uma bailarina caminha levemente levando a bruma e as incertezas de seu destino de não ser amor. A lua em seu encanto e doçura reflete sobre toda criatura o brilho do seu sol. Banhando em luar os enamorados clareando lhes os caminhos, refletindo em rios e cachoeiras a luz do seu amor. Quem não caminhou com a lua cheia por uma estrada vazia olhando a lua faceira no céu a refletir, nunca cantou versos olhando para ela e suspirando por alguém, não vive, não viveu e não tem a quem amar. Esta lua tão formosa que brilha para mim também brilha pra quem amo e sei que ele lembra de mim. E quando a noite se vai a lua ainda está no céu ela e seu amado refletindo todo bem que um pelo outro tem colorem toda a terra num banho de luz e esplendor. Os pássaros acordam pra saudar tão belo amor e cantam todo prosa ao sol. E as gotas de orvalho que caem do céu são as lágrimas da lua que chora dizendo adeus. Quer ficar, mas tem que ir, pois não pode parar o destino que tem. E o sol fica febril querendo a enlaçar e toda sua quentura a terra vem derramar tirando o frio da noite que a todos esfriou esquentando a vida ensinando a amor.       Eu também sou uma lua que vagueia pelo céu querendo quem não vejo há não ser nas nossas eclipseis quando nos encontramos no céu. Minha vida é suspirar por não ter perto de mim o meu sol a me queimar ele sempre está onde nunca estou, mas sinto o seu calor aquecer minha mente me fazendo novamente reviver! Todo calor
Dione Fonseca ( Mamuzinha)
Enviado por Dione Fonseca ( Mamuzinha) em 15/09/2007
Código do texto: T654332
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dione Fonseca ( Mamuzinha)
Varginha - Minas Gerais - Brasil
537 textos (41277 leituras)
2 e-livros (288 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 19:08)
Dione Fonseca ( Mamuzinha)

Site do Escritor