Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Café com adrenalina

Som tonitruante! Vidro traseiro do carro ostentava, em letras sólidas e agressivas, a palavra FUZILEIROS. O meu inconsciente, incontinenti, rastreia o responsável. Nada diria, uma vez encontrando-o. Só queria saber e ver a `figura´. Só isso!

Mentira! Queria mesmo era desmoralizar, esfregar na cara da `figura´ a minha razão... A minha inteira razão.

Tchan, tchan, tchan... Eis o réu à sua frente. Dedura minha amídala cerebral.

Um cara mondrongudo - se fosse mulher o adjetivo seria atlética - palitava os dentes. Com a outra mão tamborilava feliz a música “estileira” que se esparramava no restaurante onde sossegadamente, todos os dias, tomo meu café da manhã.

Minha raiva dispara pensamentos estritamente tribais. Já pressentia resquícios de ódio se posicionando para o ataque.
Som alto me tira do sério!

Trabalha na área de segurança de patrimônio do exército brasileiro, com certeza! E tem mais: onde já se viu uma coisa dessas.?.. E a disciplina?... Um militar! Que falta de... Fervilhavam meus pensamentos. Num átimo de tempo meu cérebro resgatara toda a atmosfera turbulenta dos “tempos de chumbo”. MORTES... TORTURAS... CUNHADA PRESA EM RECIFE... E o diabo a quatro.

Subitamente levanta-se o tatuado brother. Abre a porta do Fuzileiros e troca de CD. Enquanto o jovem voltava, não me contive. Perguntei meio entalado e pusilânime...

- Fuzileiro é uma banda? Educadamente respondeu:

- Não, Senhor, Fuzileiros é o nome de um ’estúdio’ de galo de briga. Trabalho nessa empresa.

- Ah! Obrigado... Respondi com semblante de ‘mané’. Pra sincero não falei o ‘obrigado’ nem o ‘ah. ’ Comuniquei apenas com gestos [O polegar pra cima e meneando a cabeça].

Não podia acreditar: há muito tempo estudando comunicação, conhecedor do estrago social que pode causar uma inferência, um subentendido e cometer bestamente este obstáculo à comunicação humana. É de lascar!

Depois de tudo isso, nem percebi mais a tonitruância do som. Paguei a conta e saí ruminando a sábia citação socrática:

“Qualquer um pode zangar-se - isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa – não é fácil”.

Quando cheguei a casa, imediatamente convoquei uma reunião com o meu ID e a cambada de EGO para uma conversa de pé de orelha.

A adrenalina, que apostava corrida nas veias, neste ínterim, começava a se recolher - já não era sem tempo - depois do curto, mas extremamente corrosivo diálogo negativo por mim vivenciado.

Lição aprendida. Mais um `causo´ para eu contar em meus cursos e palestras.
-----------------------
É professor, palestrante e autor de O Mundo Fora de Esquadro. http://airton.soares.zip.net
AIRTON SOARES
Enviado por AIRTON SOARES em 23/09/2007
Reeditado em 23/09/2007
Código do texto: T664602

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor para o site http://airton.soares.zip.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
AIRTON SOARES
Fortaleza - Ceará - Brasil, 65 anos
243 textos (62733 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 22:58)
AIRTON SOARES