Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EU SURTO. EXPERIMENTA PRA VER.

           Não vou dizer que seja estranho, mas eu surto. O que é estranho é que meu surto não é muito ortodoxo. Quando surto, me calo. Quando surto, me fecho. Não quero ninguém por perto. Não me parece boa a idéia de miséria compartilhada, já que nestes casos, dividir é multiplicar. 

            Surto por várias razões e por nenhuma. Surto quando minha máquina de pensar começa a trabalhar além do necessário. Surto quando ela não quer trabalhar de jeito nenhum. Surto quando vejo coisas que ninguém consegue ver ou quando boto a coisa no nariz da criatura e mesmo assim ela fica parada, sem ação ou sem culhões pra coisa alguma. Surto quando vejo que a criatura resolve fazer alguma coisa e  só faz m... que não vai saber limpar depois. Surto. Fico na minha e cada um que limpe sua sujeira.

            
             Eu surto porque é a única maneira de limpar meu hd. Surto pra dar um tempo pra fazer a desfragmentação do meu disco mental e dar espaço pro próximo surto. Surto porque a vida é tão simples e o que vejo é um monte de gente procurando chifre na cabeça do cavalo, do porco,do cachorro, do bispo...bom, deixa o bispo pra lá pra não ofender outras religiões.


            Surto. Mas sei que a vida é simples. A louca não sou eu. Os  muito normais que me perdoem, mas surtar seria muito bom pra eles. Seriam menos normaizinhos e mais felizes.Vão te chamar de doido? Azar deles. O mundo é doido mesmo. Anormal é andar empurrado pelo resto do gado e achar que faz parte dos enquadradinhos. Aliás, quadrado não é a figura geométrica mais bonita.

            Surto, sim. Mas nas curvas,  nas espirais que me levam  mais pra cima. Experimenta. Vai ser ótimo.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 27/09/2007
Código do texto: T670595

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (157139 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 08:41)
Débora Denadai

Site do Escritor