Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ELES NÃO FALAM DE AMOR

Não sei se é por falta de jeito, preconceito ou timidez, mas a verdade é que cada vez menos os homens falam de amor. Quem sabe seja azar de minha parte não ter ainda encontrado quem me fale abertamente, sem que este, seja apenas meu amigo.
Sim, eles se abrem quando temos a amizade deles, principalmente quando atravessam crises conjugais e amorosas, e por conveniência acabam dizendo o que se passa em seu coração, e assim fica de lado a tão comum competitividade entre os sexos.
Não querendo desmerecer a classe poética do sexo masculino, os românticos são bastante hábeis quando escrevem ou compõem uma música, mas falar de amor para o amor ainda é um sacrifício daqueles! Pedimos quase ajoelhadas para que eles digam o que sentem, em vão, pois desconversam e preferem lidar com a parte prática do romance, quando não dizem que falamos demais e sempre queremos explicações inúteis, que em nada melhorará o relacionamento. De vez em quando eles soltam um "você sabe que gosto de você", como quem diz gostar de goiabada com queijo, por exemplo. Interessante notar como eles gostam de saber o que se passa no nosso coração e em nossa cabeça principalmente. Quando por qualquer motivo mudamos nosso comportamento, somos logo exaustivamente interrogadas. Nasce a insegurança comum a todos os mortais que amam, mas não querendo violar o estatuto masculino, é melhor não demonstrar.
Esses homens... e seus silêncios. Na maioria das vezes tão cômodo para nós, mas também torturante, quando não sabemos definir o rumo a tomar. Entendo que para eles as cobranças são maiores, e que nessa selva que é o mercado de trabalho, estão cada vez mais se anulando pelo sucesso. A corrida é grande, dar atenção a todos é só para quem tem muita habilidade. Mas isso nós também enfrentamos e nem por isso colocamos nosso fone de ouvido e nos desligamos do mundo à  volta quando chegamos em casa cansadas, querendo conversar e relaxar. Falar no final do dia é chamar para a briga.
Deixemos então que eles fiquem emudecidos ou pelo menos falem quando quiserem, se é que chegará esse dia. E perdoemos sua falta de jeito ou coragem, sei lá, para que digam que somos importantes em suas vidas, que por nós fariam qualquer coisa, que admiram nossa personalidade e que são gratos pelo nosso companheirismo e por nosso amor. Bom, isso é o que gostaríamos de ouvir, resta saber quando eles vão descobrir que falar de amor é tão fácil...
Cláudia Sabadini
Enviado por Cláudia Sabadini em 04/11/2005
Código do texto: T67378
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Sabadini
Cachoeiro de Itapemirim - Espírito Santo - Brasil
280 textos (29929 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:42)
Cláudia Sabadini