Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SINFONIA

Na margem dessa estrada posso ver pegadas do irmão que há pouco passou, sorriso de criança que cheia de esperança vagava pela restinga que há pouco secou, ouvir o canto do bem-te-vi carente de amor, sinfonia de pardais, passos de animais em minha estrada que o tempo apagou.

Abro a janela a palavra me foge na paisagem que se perde no infinito, viajo nesse amor tão bonito em sol de resplendor. Ouço a voz do vento distante nas folhas que balançam no horizonte na minha pobre mente vazia que um dia me fez sonhar enlouquecendo-me de amor.

Enquanto lá fora os bandidos brigam entre si nos causando horrores finjo estar em paz, mas meu pobre coração parece do peito querer saltar , não tem jeito, juntos morremos mais um pouco antes do tempo marcado por Deus, antes que o mundo venha se transformar na paz tão sonhada, antes que o Lúcifer seja odiado, antes que a noite se torne enluarada e o homem livre das balas em saraivadas.

Mas continua em mim a paixão pela vida que mesmo esquecida, desvalorizada e banalizada na sua auto-estima o tempo preservou. Um menino não conta uma história, contar o quê se nada ainda aprendeu? É o infinito sem fim rondando a calma madrugada e eu aqui nessa paixão desesperada.

Precisamos, pois, educar para vida, não para o trabalho, educar o cidadão para o mundo e não para um jogo de baralho onde as cartas são ciladas para aventureiros, onde só quem ganha é o primeiro. Ah, como eu queria sair pela rua e ver todos de mãos dadas, seguindo juntos a mesma estrada unidos como o rebanho na invernada.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 05/11/2005
Reeditado em 06/01/2006
Código do texto: T67501
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79546 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 16:12)
R J Cardoso