Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Dom




     Nada tinha de seu. Mas tinha um dom.
     Estabelecia à sua volta uma atmosfera emocionante, em cada pessoa provocava uma sensação diferente. Ampliava nelas os sonhos e as esperanças. Despertava todo o tipo de paixão.
     Um Dom
     Olhando assim despretensiosamente, nada se percebe, mas bastava a aproximação, uma conversa e tudo mudava. Houve quem se apaixonasse, ficasse dependente, ou simplesmente jamais esquecesse. Havia quem resistisse ao encantamento para em seguida render-se confessadamente admirado.
     Realmente um Dom.
     Muitas histórias.Todas as histórias, com um final em comum. As luzes apagadas, cortinas fechadas. Escuridão na ribalta. Apenas a solidão das coxias. Ficam os odores, os sons fugidios. E as lembranças.
     Ele tinha um Dom.
     Um personagem, muitos personagens.
     Um solitário.
     Abandonado nas emoções de muitos, lembrado no abandono de alguns, presente na lembrança de todos.
     Isso era um Dom.
     Caminha só, ouvindo os próprios passos e repleto de abandono. Pelo olhar, desfilam  momentos. No corpo ainda o calor da paixão. Nos lábios o beijo negado. Nas mãos, fugidias oportunidades, todas elas.
     Sangrando, esvaindo-se. Vendo escorrer pela sarjeta, a felicidade.
     Enfim, de que serve ter um Dom, a não ser fazer felizes os outros?
     Ele tinha um Dom.
Luiz da Silva Rosa
Enviado por Luiz da Silva Rosa em 03/10/2007
Reeditado em 03/10/2007
Código do texto: T679007
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz da Silva Rosa
Santa Isabel - São Paulo - Brasil, 61 anos
71 textos (6896 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 13:30)
Luiz da Silva Rosa