Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Assentei-me diante do Senhor e disse:

Tu me guardas, se eu seguir a tua palavra e der atenção a ela. Mas isto não tem acontecido comigo, pois não tenho andado de acordo com as tuas veredas. Perdoa o teu servo, pois reconheço o meu pecado. Contudo, o preço tem sido demasiado alto para mim. Hoje tenho o meu cajado, o meu selo e o meu lenço na mão de “Tamar”, e a minha herança está sujeita a escravidão. Nem esta nem a minha companheira, a quem tenho sido fiel desde a minha mocidade, têm buscado a tua palavra do mesmo modo que eu tenho buscado e, por isso, não têm alcançado a mesma visão. Na tua palavra, eu vi o meu erro. Não tenho, porém, conseguido enfrentar a situação como se deve. Sou considerado mestre entre meus pares, no entanto, a minha casa está a ponto de desmoronar. A morte me sonda e a vergonha se avizinha. Não tenho ódio de ti. Na tua palavra há muitos avisos, convites a buscar a sabedoria e a entender a justiça. Me ajude a sair da "barriga deste grande peixe".         
Eu estou diante de ti, disposto a confessar o meu o pecado. Tira para longe de mim a minha iniqüidade. Dá-me força para que eu vá além da confissão. Que eu afaste de mim o meu opróbrio e abandone a minha transgressão. Porque mesmo que pareça inofensiva aos olhos humanos, ela te desagrada, pois contraria os teus mandamentos. Ela tem impedido a minha prosperidade e minha comunhão contigo. Meu anelo é ser um homem segundo o coração de Deus, tal como Davi, ser bom pai, bom marido, um canal de benção para a minha família, provedor e abençoador. Hoje não passo de escarnio para as minhas filhas e uma vergonha para a minha esposa. Ajude-me a arrumar a casa, limpa-me, ajusta-me, batiza-me com o teu Espirito Santo, prepare-me para que tu possas habitar em mim. 
Tu me sondas e me conheces, sabes o meu deitar e o meu levantar. Com a minha boca eu confesso o meu pecado. Perdoa-me, Senhor, e não te lembres mais de nenhuma das minhas faltas. Me ensina e mostra o que precisa ser feito para alcançar o batismo com o Espirito Santo. Não basta ser um erudito no estudo da palavra, é preciso ter comunhão contigo. Senhor, tu estiveste comigo no hospital, na hora da cirurgia. Eu não tenho dúvida e louvo o teu nome e dou testemunho.      
 A ausência de prosperidade na minha vida tem me entristecido muito. Mas eu percebi, porque me foram abertos os olhos, que eu tenho a mente de Cristo. E quem tem a mente de Cristo pensa como Jesus Cristo, age como Jesus Cristo e enfrenta o problemas como Jesus Cristo enfrentou. É um vitorioso, não um derrotado.        
Hoje eu ouvi, ou pelo menos entendi assim, que para que tu possas habitar em mim, no meu corpo, eu preciso ser batizado com o Espirito Santo. Eu aceito esta palavra. Eu quero ser batizado com o Espirito Santo. Me ajuda a me livrar do jugo das dívidas, dos empréstimos, dos credores incrédulos.                       
Tudo parece perdido, estou morto e acabado, mas tenho comparecido constantemente na tua presença e buscando a tua palavra. Sei que aquele que crê em ti, ainda que esteja morto, viverá. Tu falas ao meu espirito e me diz: levanta-te. Então, eu louvo o teu nome por me sentir outra vez na terra dos viventes. Não seja eu contado com os pecadores e não consintas que eu desça a cova. No senhor reside a minha esperança. Todas as minhas ansiedades eu lanço aos teus pés e espero em ti. Aleluia! Ajuda-me na minha incredulidade. Batiza-me com o teu Espirito Santo para que tu possas habitar em mim e fazer de mim a tua morada.
Envia-me a prosperidade. Torna-me verdadeiramente livre. Livra-me de todo o jugo. Batiza-me com o teu Espirito Santo. Limpa-me. Prepara-me, para que tua possas habitar neste templo. Que eu seja templo do teu Espirito.   Perdoa o meu pecado. Afasta de mim a minha iniqüidade. Longe de mim dizer: eu não pequei. Tu conheces o meu coração e sabes o meu intento. O meu desejo é do teu conhecimento e eu o submeto à tua vontade, e espero o teu favor. A angústia me cerca e a opressão me afronta de dia e de noite, só a tua palavra me conforta, nela, busco as respostas para as minhas indagações e a razão para a demora na tua resposta. Ainda uma vez, o teu silêncio me angustia e, outra vez, a tua palavra me eleva a fé. Sem fé é impossível agradar-te, pois, quem se aproxima de ti necessita crer que tu existe e que é galardoador dos que te buscam. Pai, eu clamo como aquele rapaz que estava possuído por demônio e Jesus o libertou: ele disse: Eu creio, porquanto disseste: tudo é possível ao que crê.             
Tenho comparecido diante de ti todos os dias e tenho colocado no teu altar a minha petição, nada tenho ocultado, e nem poderia, mas tudo tenho confessado com a minha boca. A minha súplica tens escutado. Agora, ouve-me, Senhor, e atende o meu clamor. Tudo tu fazes quando te apraz. Eu não conheço o teu prazo e nem quando irás manifestar a tua vontade. Contudo, é chegada a minha hora de prestar contas e as minhas mãos estão vazias. Nada saiu segundo os meus planos, pois, não busquei com diligência a tua aprovação, mas, agora, se acho graça aos teus olhos, ajuda-me.                 

Bem aventurado é aquele cuja a transgressão é perdoada e cujo o pecado é coberto. Confessei o meu pecado e a minha transgressão não encobri. Creio, tu perdoaste a culpa do meu pecado, a tua palavra tem estado na minha boca. Se fosse crime plagiar as palavras dos salmistas, eu estaria condenado à prisão perpétua. A minha súplica é um pedido de perdão, porque ainda que eu esteja morto e acabado, eu sei que o meu redentor vive.                                      
Não quero mais carregar a angústia alheia nem a culpa pelos danos que causei. Quero poder, nesta vida, ofertar anos de regozijo como recompensa pelos dias de sofrimento, ainda que não apaguem o mal que fiz. Meu ímpeto, tu bem conheces, é seguir um caminho ermo, buscar um canto distante, onde eu não possa ouvir a voz do meu acusador. No entanto, não quero ser perseguido, e a minha esperança é reconciliar-me com o meu adversário, antes que cheguemos ao tribunal e, assim, não haja mais saída para mim. Se eu sair do seio da minha família e abandonar a minha casa, será como me atirar no seol. Que sentido terá a minha vida? O silêncio será companheiro e a solidão minha melhor amiga. Restará em mim a alegria da salvação? Não me fará o Senhor a mim como fez à figueira que não dava frutos?                                       
Deus, meu Deus, quantas vezes me sinto só. E quando me lembro que os meus pecados fazem separação de ti, corro aos teus pés e peço perdão.

Bom é estar na tua presença, pois há segurança. Aperfeiçoa em mim o amor, porque ele lança fora o medo. Longe do teu altar e nunca fora da tua presença eu não temerei, porque estarás sempre comigo, a tua vara e o teu cajado me consolam. Põe uma mesa perante mim, na presença dos meus inimigos. O meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra. Amanhã nascerá um novo dia e o sol surgirá. E mesmo que chova e nuvens negras me impeçam de ver o seu esplendor, eu louvarei o Senhor porque ele fez e tudo aconteceu como está determinado.
Deus, meu Deus, batiza-me com o teu Espirito Santo, faz de mim a tua morada, cuida de mim, pois, obedeço a tua lei e na minha fragilidade digo: eu sou forte!               
Abençoa-me, para que eu possa também abençoar, guia-me, para que eu possa também guiar, ensina-me, para que eu possa também ensinar.

Senhor, dos que me deste, que nenhum se perca.
Afasta de mim o opróbrio, põe fim a minha vergonha, me ensina a ser pequeno para glorificar a tua grandeza, me ensina a ser grande e, ainda assim, ser dependente de ti. Dá-me bom juízo e ciência. Liberta-me da minha culpa e cobre-me de dignidade, põe-me outra vez em lugar de honra e tira dos lábios do meu adversário as acusações contra mim. Que ele não levante mais a sua voz para trazer à lembrança os meus erros, que já foram apagados.
Que os meus não dêem ouvidos à voz do inimigo e não temam as suas ameaças. Dá-me crédito, Senhor, para que ouçam o meu conselho. Que pelo meu conselho eu possa proclamar a tua lei e disseminar o teu mandamento. Duro é ouvir: não crédito na tua palavra. Todavia, não foi assim que fizeste o homem nem deste modo intentaste moldar a família. Seja eu o abençoador e o guia do teu conselho, sacerdote do meu lar, o consolo da minha amada, o abrigo dos que me amam.   

Que eu tenha com que enxugar as lágrimas dos que choram e como curar as feridas dos que sofrem. Que a tua palavra na minha boca alivie a dor dos corações.
As tuas misericórdias se renovam a cada manhã, mas eu não quero me habituar nem conviver com o meus problemas. Não quero tornar-me um homicida. Embora, me pese nos ombros a acusação de ser um matador de sonhos. Não sei se pela minha fraqueza ou pela minha falta de fé o sono me tem faltado. Estou cansado de reprimir a minha alegria, a minha felicidade, pois, ela está no que eu tenho e eu não sofro pelo que eu ainda não possuo. Eles são objeto do meu desejo e eu o tenho declarado na tua presença. Pela falta deles, o meu adversário me afronta, busca abalar a minha fé.                         

Lembra-te de que sou homem, a minha vergonha me abate. Estende, pois, a tua mão e fala ao meu espirito: levanta-te e volta à vida: eis que tudo se fez novo, as coisa velhas já passaram, quem está em Cristo, nova criatura é. Porque nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Quero te entregar meu o jugo e aprender de ti que és manso e humilde de coração, e achar descanso para a minha alma.                                                   
O teu silêncio me deixa aflito. É inútil, porém, afligir a minha alma. Olho para todos os lados, aguço os meus ouvidos, mas a resposta não vem. Sinto aperto em meu coração e pronuncio as tuas palavras repetidamente para fixá-las em minha mente. O pecado ainda persiste, ainda há manchas de transgressão, a perfeição se mantém distante, santifica-me, pois, de mim não serei capaz.       

Eu creio no Deus vivo, que é bom e justo, contudo, é misericordioso e compassivo. Tenho observado na tua palavra, que consideras o argumento dos que te buscam, e que te expõe as suas necessidades. Longe de ti, está acobertar o pecado. Eu sei que jamais o farás. Eis aqui um pecador arrependido, disposto a ser transformado pelo teu amor. Faz-me sentir verdadeiramente livre. Cala a voz do meu acusador. Assenta-te, peço-te, considera as minhas razões, que tu conheces. Abre o teu rico tesouro e ajuda-me. Ajuda-me para que a altivez não se apodere de mim e o meu coração não se exalte. O meu pensamento vagueia por soluções mirabolantes, segundo o meu conselho. Espero, no entanto, a tua resposta. Tu és soberano, e minha fé me faz crer que o teu silêncio não é o desprezo pela minha oração.              
Ensine-me, de noite, o meu travesseiro. Nestas linhas, eu exponho o meu coração e busco e teu conselho. Do que me disseres, disso eu possa falar, e da tua ciência e sabedoria abunde o meu coração e transborde a minha boca. O teu louvor esteja constantemente nos meus lábios. Cumpre em mim as promessas feitas aos justos, torna-me pronto para recebe-las. Faz-me entender os teus mandamentos e sê comigo para que os possa cumprir. Põe em mim a alegria da salvação. Tira do meu coração a dúvida, toda a dor de engano, todo espírito de covardia e derrota. Eu determino que saiam da minha vida e não voltem nunca mais. Seja fechado o caminho do acusador. Fortalece a fé dos meus e dá discernimento para tomarem decisões sábias. A minha falta de fé trouxe o pecado sobre mim e sobre a minha casa. Livra-me do peso da minha vergonha e a minha casa do dano que causei. Julga-me segundo a tua infinita misericórdia e sejas o meu socorro.               

Eu quero olhar para o meu passado e ver apenas as cinzas, pois os meus pecados foram apagados. Sei que no presente hei sempre que te pedir perdão. Só se vive o presente. Do passado só se guarda o que é bom e não se planeja o futuro sem considerar os erros de ontem. O futuro é um dia para ser vivido amanhã. Basta a cada dia o seu mal. Senhor, só uma coisa te peço: seja Senhor da minha vida. Eu quero tudo novo.                                      
Perdoa as minhas falhas por causa da minha iniqüidade. Tenho transgredido a tua lei, não obedecendo a tua voz. Estende a tua mão e ajuda-me. Ensina-me para que eu, a cada dia, veja a tua glória, e eu receba do céu o maná, e aprenda a confiar no teu socorro. Seja comigo o conhecimento, a inteligência e a sabedoria. Que eu possa discernir o tempo e o juízo de cada propósito teu na minha vida. Sê o meu guia, o meu conselheiro. Tu és o meu Deus forte e príncipe da paz. Paz que eu procuro na minha vida, no meu lar.                           
Ajuda-me a entender o teu propósito: eu não estou no lugar que eu desejo. Tenho dúvidas se o meu proceder é reflexo da minha paciência ou do meu comodismo. Porque indo Jacó ao encontro de Esaú, enviou-lhe presentes para aplacar-lhe o coração. Mas estando eu "na fazenda de Labão", encontro-me de mãos vazias. Não que eu esteja caminhando ao encontro de um algoz, mas há pessoas queridas e importantes, a quem eu gostaria de poder abençoar, sorti-las de bens.          

Ah, Senhor, não ouça a minha murmuração. Torne-se a minha língua saudável e o meu espírito se fortaleça pela tua palavra. Toca-me senhor e me põe de pé e fala comigo. O teu servo ouve.
Batiza-me. Prepara-me e batiza-me com o teu Espírito Santo. Faz de mim a tua morada. Por causa do meu pecado, tenho sofrido escravidão. Arranca de mim o espírito escravizador e liberta também aquela que é carne da minha carne. Dá-me condição de estender-lhe a mão e que eu alcance crédito para abençoa-la. Eu quero vê-la livre do seu sofrimento. Não quero repetir o erro de Jonas e fugir do meu compromisso. Não isso, exatamente. Mas como admitir um fracasso, deixando a benção na mão do inimigo. Não quero cometer o pecado de desprezar a tua palavra. Eu louvo o teu nome. Quero louvá-lo continuamente. Fuja da minha boca a murmuração. Eu decreto a minha vitória. Seja comigo e dá-me entendimento. A tua palavra me faz sábio, abre o meu entendimento, por isso, eu bendigo ao teu santo nome. A liberdade virá pela manhã. Tu tens enxugado as minhas lágrimas e as tuas promessas me trazem esperança.                                      
Sou precioso aos olhos de Deus. Eu vou dar uma virada na minha vida, porque eu creio que tu me amas e hás de cumprir as tuas promessas para a minha vida. Eu manifesto a ti a minha vontade, o meu desejo e busco na tua palavra o caminho da salvação. Peço-te, renova o meu perdão, apaga a minha transgressão, ensina-me a ciência e o juízo. Eu lanço sobre ti toda a minha ansiedade pois tens cuidado de mim. Toca em mim, Senhor, e me fortalece. Fala comigo e eu serei fortalecido. Perdoa-me, limpa-me e proclama sobre mim a tua benção. Afasta os meus pés do caminho mau. Preserva a minha boca da palavra torpe. Afugento da minha mente os pensamentos impuros. Como Davi, teu servo, eu me lembro de ti no meu leito e medito a teu respeito. Longe de mim esteja o pecado, que me faz separação de ti. O teu louvor esteja continuamente na minha boca e os meus no caminho reto. E venha sobre mim a prosperidade, benção repartida.              
São muitos anos. Há muitos anos eu te aceitei como Senhor e Salvador da minha vida. Eu quero viver na prosperidade e gozar das tuas delícias. Eu sei que o meu pecado já foi perdoado. Mas a minha alma ainda sofre por causa dos meus erros. Os meus credores jazem na minha porta, buscam o que lhes é de direito, porém, as minhas mãos estão vazias, e a minha palavra não basta para lhes aplacar o furor. Só o que me resta é a tua palavra, as tuas promessas feitas aos retos. Eis que eu me esforço para ser como um deles. Entro na tua presença, em nome do teu filho, Jesus, limpo pelo seu sangue, que foi derramado na cruz.                           
Ao coração quebrantado e contrito não desprezas ó Deus. Perdoa a minha soberba. Tem misericórdia do teu servo. Tu, que perdoas todas as nossas iniqüidades, sara todas as nossas enfermidades, redime a nossa vida da cova, me coroa de benignidade e misericórdia e me supre de todo bem, de sorte que a minha mocidade se renove como a das águias. Não me trate segundo os meus pecados. Lembra-te que sou pó. Levanta-me da opressão e me põe num alto retiro, me abençoa e multiplica os meus bens sobremaneira e não permita que o meu gado diminua.

Eu busco a tua glória. Seja o meu perfil de inteligência, entendimento e sabedoria. Eu absorvo a tua palavra. Ela está constantemente diante dos meus olhos e nunca sai da minha boca. Firme estou, na tua presença. Eu creio na tua palavra e estou certo do cumprimento das tuas promessas.
Tudo te peço, em nome do teu filho, Jesus Cristo, meu Rei e Salvador.

 



Este texto faz parte da coletânea Alma Nua de Ivo Crifar, pela editora Baraúna.
Ivo Crifar
Enviado por Ivo Crifar em 07/10/2007
Reeditado em 23/09/2011
Código do texto: T684950
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ivo Crifar, Alma Nua, editora Barauna, 2009). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivo Crifar
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
231 textos (13846 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 08:42)
Ivo Crifar