Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu e a Internet

Dia desses, lendo minhas mensagens via Internet, acabei me envolvendo com uma correspondência anexada do meu amigo e ex-professor José Faganello, em que me premiou com a leitura do seu artigo “Subjuntivo”. Artigo esse, em que o Professor Faganello descreve em minúcias a importância de conjugar corretamente o verbo, e os freqüentes deslizes em seu uso, para a grande maioria dos brasileiros.
Escreve ele um fato ocorrido com a sua esposa Márcia ao lecionar o idioma de Cervantes _ o castelhano_ contando das particularidades das línguas neolatinas e das dificuldades encontradas por todos os seus usuários.
Um dos alunos, encontrando enorme complicação para compreender a conjugar, faz com que a professora procure esclarecer o presente do subjuntivo através de um exemplo, como: “Espero que lute por nossos direitos; acredito que esteja do nosso lado”.
Já com pretérito imperfeito do subjuntivo ela exemplifica: “Eu teria uma vida melhor se o Brasil não tivesse maus políticos”.
O futuro do subjuntivo indica hipótese futura: “Quando começarmos a votar melhor, viveremos bem”.
Quando acabou de ensinar perguntou ao aluno se ele havia entendido a sua explicação. A resposta foi pronta: Sim, entendi que o subjuntivo é o verbo adequado aos nossos políticos.
Aqui abro um espaço para uma informação relevante a todos os usuários da rede, e que foi descrita em uma conferência. Alain Rouquié, embaixador da França no Brasil apresentou um quadro sombrio sobre a presença das línguas latinas na grande rede.
As línguas latinas representam uma população de oitocentos milhões de pessoas (treze por cento da população mundial). Os países que falam o inglês representam seiscentos e trinta milhões de pessoas (dez por cento da população mundial).
No entanto, um estudo feito pela Agência da Francofonia e pela União Latina, revela que 75% de presença na Internet é marcada pela língua inglesa. Rouquié, então, explica da necessidade de uma atitude política quanto à defesa das línguas latinas, assinalando que a defesa do idioma está associada à defesa da diversidade cultural e das identidades nacionais e do perigo da uniformização estabelecida pelo processo de globalização em curso.
Ao terminar de ler o artigo “Subjuntivo”, resolvi salvar o documento e depois anexá-lo para devolver ao professor, e escrevi: “Caro Professor, abra o anexo e veja se está correto”!
Caro leitor! Tenho a mania de também relacionar o meu endereço eletrônico junto, para depois receber, abrir e ter a certeza de tê-lo enviado corretamente. Acredite, foi com total espanto, seguido de uma sonora gargalhada, que constatei ao ler a mensagem e descobrir no documento enviado, a foto do meu afilhado e da sua tribo!
Para salvar a minha imagem, segui as pistas do documento: cliquei em “Documentos Recentes”, e, como verdadeiro Sherlock Holmes (aquele mesmo dos romances e contos do gênero policial do escritor sir Arthur Conan Doyle), resgatei o artigo “Subjuntivo” e o devolvi com a seguinte mensagem:
Caro Professor: por sorte resolvi mandar a correção para o meu endereço eletrônico (também) e pude perceber que enviei a foto do meu afilhado e dos seus amiguinhos na "Festa do Índio" que aconteceu na escola. Quando abri o anexo quase  estorei   de tanto rir. Valeu!!!! Desculpe o erro!!

Ana Marly de Oliveira Jacobino
Especialista em Literatura
Ana Marly de Oliveira Jacobino
Enviado por Ana Marly de Oliveira Jacobino em 08/10/2007
Código do texto: T686060

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ana Marly de Oliveira Jacobino
Piracicaba - São Paulo - Brasil
1953 textos (161104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 02:27)
Ana Marly de Oliveira Jacobino