Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PRIMEIRA ROSA

Toda mulher ver nas flores a essência dos sentimentos que alguém nutre em si. É como se as flores fosse por excelência  mediadoras do amor entre duas pessoas. Ao recebê-las sentem-se como se estivesse recebendo simbolicamente o amor em suas mãos.
Naquela manhã estava na casa dele e ele havia saído pra fazer algo que, no momento, pra mim não convinha fazer. Não querendo deixar-me só, procurou um filme e me deixou assistindo. Não gostei da saída, é claro, preferia que ficasse ao meu lado assistindo o filme ou qualquer coisa que fosse, desde que estivesse ao meu lado.
Depois de algum tempo, ele entra com uma pequenina rosa na mão e me dá seguida de um beijo. Foi um dos gestos mais lindos que vivi. Poderia ser algo completamente normal, mas não era. A rosa era do próprio muro. No outro dia eu tinha passado e parei pra vê-la, e ele nem havia percebido. Era a única do pé e parecia que ela não tinha nascido bem, era um tanto esmirradinha, meio amarelada pelo sol. Não me passou pela cabeça tirá-la do seu habitat. E naquele momento com ela entre as mãos, a mistura de sentimentos foi enorme: pena por saber que dali em diante ela apenas morreria, felicidade por ter recebido uma rosa do meu amor, admiração pelo gesto e a magia do momento... A rosa não tinha nada de espetacular, mas foi a mais singela que já vi, trazia consigo o melhor de todos os perfumes, toda a beleza impressa em cada pétalazinha  e todo o carinho do mundo expresso no gesto de colhê-la e ofertá-la.
Foi a primeira rosa que recebi dele, mas foi tão significante que poderia ser a única (mas que não seja).
Aquele momento pareceu eternizar-se. A rosa ainda está guardada dentro de um livro e no coração. Pra roseira ela não existe, pra mim existirá pra sempre como a minha primeira rosa.


Virgínia Santana
Virginia de Santana
Enviado por Virginia de Santana em 18/10/2007
Reeditado em 17/08/2012
Código do texto: T699390
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Virginia de Santana
Anísio de Abreu - Piauí - Brasil, 36 anos
192 textos (35204 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 23:36)
Virginia de Santana