Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As aventuras de Salú - A mulher de Tarzan

A maioria das cidades interioranas não tem muitos entretenimentos.
O prefeito geralmente é encontrado nas roças ou andando de bermuda na cidade, juntando-se ao povo nas pequenas feiras que se formam na praça e que antes do meio dia fecham.
Apenas alguns acontecimentos mudam as suas rotinas: a missa dos domingos, a festa de emancipação da cidade, casamentos e cortejos fúnebres.
Todo mundo conhece todo mundo, e o melhor lugar para saber da vida de alguém é a barbearia de seu João.
Enquanto todos estavam atuando como os outros dias, pois praticamente nada era novo, a vida dos moradores parecia um desenho animado que se repete todos os dias no mesmo horário; qualquer um poderia dizer sem errar o itinerário do outro. De repente um caminhão grande saiu da estrada principal e veio em direção à cidade, com uma corneta em cima da cabine do motorista, anunciando a chegada do "Gran Circo Show".
As crianças saíram da escola, algumas que estavam em casa também acompanharam as outras em direção ao carro, gritando com bastante alegria: Êêeeeeeeeee, oba, o circo chegooooou!
Nesta cidade encontrava-se SALÚ, um jovem aventureiro que saiu de casa aos treze anos para não tomar vacina contra a malária. Já haviam passado uns dez anos e estava com uns vinte e três.
O anúncio era o seguinte: "Atenção povo desta cidade e vilarejos, O GRAN CIRCO SHOW chegou para mudar suas rotinas. Amanhã, às nove horas, teremos apresentações especais com as palhaçadas do palhaço PREGÃO e sua turma, acrobacias, equilibristas, roda da morte, trampolim e a poderosa 'MULHER DE TARZAN', uma mulher que enfrenta qualquer homem na pancada, 'ela' já lutou contra grandes lutadores e venceu, 'ela' chegou a desafiar o pugilista Maguila, mas ele correu. Vocês verão tudo isso e muito mais, amanhã às nove horas".
Pronto! Amanhã virou feriado pra todo mundo, quem vai perder um show desses? Ninguém. Os guarda-roupas foram abertos e cada morador se preocupou em pegar a domingueira para vestir em plena terça-feira.
A ansiedade do povo fez com que o dia passasse mais rápido para chegar a noite. A noite foi uma tortura para muitos que não conseguiam dormir, pois a ansiedade tinha chegado ao seu nível mais alto. O suor escorria no rosto de seu Raimundo do armazém, que virado para a parede, nem ligava para a mulher ao seu lado.
Cocoricó! Pronto, o galo cantou. Mas não acordou ninguém, todo mundo já tava acordado.
Quem chegou às nove horas teve que se acomodar de pé, todas as cadeiras estavam ocupadas, e algumas até com duas pessoas.
Ha, ha, ha, ha, ha; bravo; bis; quero ver de novo, genial!!! era o grito da platéia.
Chegou a hora de apresentar a mulher de Tarzan, uma crioula alta, tinha quase seus dois metros, sem exagero. Fazia caretas para o público e gritavam como uma onça, mostrando os seus dentes. E foi feito o desafio: "Quem quer lutar contra a mulher de Tarzan? Onde está o primeiro desafiante?" Ninguém se manifestou, apenas murmúrios eram ouvidos.
Na falta de desafiante o apresentador, vendo aquele homem franzino de pele clara em pé, à sua frente, aponto-o dizendo que ele seria o lutador. Não era nada mais nada menos que SALÚ, um viajante que estava ali de passagem.
SALÚ aceitou o convite, e foi se preparar no camarim, para a luta. O apresentador o chamou em particular e disse: "meu amigo não fique com medo, é tudo um truque. Você vai apenas fingir que está apanhando até o momento que eu pare a luta. Não se preocupe que vou te dar alguns réis por isto".
Salú saiu do camarim todo enfezado, agora ele parecia um gladiador de verdade. Com roupas típicas de um lutador subiu ao ringue e aguardou o toque do gongo para o início do combate.
BRIMMM! Começa a luta.
Naquele jogo de esquiva dali e esquiva daqui a multidão gritava por um conflito corpo-a-corpo. A mulher de Tarzan rodou o braço em sua direção esperando que se abaixasse. Prrrráááa..., a tapa foi certeira. Olhando para o céu, Salú viu estrelas em pleno dia; olhando para o povo, viu tudo rodar.
Não deu outra. Salú furiosamente seguiu em direção a mulher de Tarzan, agarrou-a pela cintura e a derrubou fora do ringue, e o que era de mentira ficou sério. O apresentador, com a ajuda de seus assistentes, teve que separar a luta o mais rápido possível para que ninguém se machucasse.
O povo gritava alvoroçadamente pelo nome de SALÚ. O proprietário do circo o chamou reclamando por ele quebrar um acordo. Ele explicou que havia recebido uma tapa no pé do ouvido, que o deixou sem juízo e por isto partiu pra cima da mulher.
SALÚ perdeu a chance de ter em suas mãos alguns réis, mas ganhou a fama de ser o único homem que derrotou 'A MULHER DE TARZAN'.
Mário Natho
Enviado por Mário Natho em 18/10/2007
Reeditado em 28/10/2007
Código do texto: T699705
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mário Natho
Salvador - Bahia - Brasil, 46 anos
90 textos (21543 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 14:14)
Mário Natho