Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PORQUE EU AMO

Não sei como, nem sei quando, mas sei que um dia acontecerá.
Esse amor pelo qual me inflamo. Um dia, certamente, se realizará.
E realizará só por que...  Eu amo. Não posso crer que o mundo já
acabou e que a vida continue negando o que reclamo.
Sei que tudo se modificou que o tempo passou, mas há de ter alguém como eu. E eu amo. Então, por toda a minha vida enquanto eu existir,
aos quatro ventos isso eu proclamarei. Até poder minha metade atingir.  Só porque eu amo, eu sei! Por isso, não posso desistir.
Mas, não quero ser objeto alienado, servil, usado... Não! Eu serei sujeito em minha história. E viverei o meu amor conto de fada, construirei minha vitória, porque eu amo!
Mas, se a má sorte me perseguir e o meu tempo terminar sem meu
Amor pra mim sorrir, partirei sem essa culpa. Porque o amor sempre busquei. E se busquei é porque acreditei e sempre irei acreditar que
a vida foi feita pra amar, partilhar, comungar... Pra quem sabe amar.
E eu sei. Porque eu amo!
Eu não sei se o homem que me amará é rico ou pobre. Mas, eu o amo.
 Não sei se é loiro ou moreno se é gordo, ou magro. Mas, eu o amo. Se ele usa barba ou não. Nem isso é tão importante. E, mesmo assim, eu o amo. Por enquanto, eu só conheço-lhe a alma. E essa é crente em Deus, pura, limpa, altruísta, humana, caridosa, inteligente, sensível e apaixonada. Apaixonada pela natureza, pelo saber, pela vida! Com a mesma sede de saber que eu tenho. Por tudo isso, eu o amo! Alguém um dia disse que esse homem está dentro de mim. E de fato está. Eu só quero que ele se materialize pra que eu seja sua escrava, sua rainha, sua serva, sua princesa, sua companheira... Enfim, sua mulher. Porque amante eu já sou desde que nasci.

Vejam o que diz Albert Einstein:

          "Que estranhos somos, nós mortais!
           Cada um de nós está aqui para uma breve jornada cujo
           propósito não sabemos embora por vezes o possamos sentir.
           Mas sabemos da vida diária que existimos para os outros,
           principalmente para aqueles de cujos sorrisos e bem-estar
                           depende a nossa felicidade."

E, mais:

             ¨A vida é como jogar bola na parede:
              Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
              Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
              Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
              Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
              Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma
              que você não esteja pronto a recebê-la.
              A vida não dá nem empresta; não se comove nem se apieda.
              Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir
                            aquilo que nós lhe fazemos.¨

                                   Albert Einstein

                            *******************


Tu sabes jogar? E será que eu sei?................................
Tânia Regina Voigt
Enviado por Tânia Regina Voigt em 22/10/2007
Reeditado em 13/04/2009
Código do texto: T704305

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome da autora). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Regina Voigt
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil
1026 textos (48073 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 03:26)
Tânia Regina Voigt