Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Coisas da Língua

Ontem ,recebi um e-mail -como tantos outros que pipocam seguidamente em minha caixa -com dicas sobre a língua portuguesa.
O que sempre me põe pensativa nessas ocasiões é a percepção do distanciamento existente entre a teoria e a prática do idioma na boca e na ponta dos dedos das pessoas,dessas que nos enviam os e-mails com as famosas dicas.
A língua portuguesa,este rico instrumento de comunicação,adoece diariamente ,mesmo nos papos cotidianos mais sadios pra infelicidade e empobrecimento cultural do país.
Um povo,pra ser mundialmente respeitado,precisa,antes,respeitar a sua cultura.
A internet trouxe uma série de inovações discutíveis para a interlocução ,o que convenhamos, só acrescenta mais confusão ao desempenho oral e escrito daqueles que já não o faziam com grande competência no dia-a-dia fora da virtualidade.
Mas, o principal responsável ,a escola,parece já não estar mais dando conta do recado.
É preciso ensinar as crianças e os adolescentes o prazer de ler e escrever.
Atualmente nas escolas,mais precisamente nas públicas, o ensino da língua restringiu-se às aulas de leitura,interpretação e produção textual automáticos,isto é, sem qualquer embasamento lingüístico ou estimulação.
Antigamente(e nem tão antigamente assim),a gente ia à escola pra conhecer mais profundamente o idioma que falávamos e entendíamos .Hoje, afirmam as teorias modernas,que basta fazer a criança escrever muito e sequer pensar em corrigi-la,porque ela mesma deverá descobrir os erros que comete ,enquanto escritora ao confrontá-los com outros modelos.
Ora,ora,quem pensa dessa forma, ou nunca foi criança, ou nunca teve crianças...
Esse é o pensamento que ,a meu sentir, vem formando  um páis de analfabetos funcionais.
No meu tempo de menina,até uns trinta anos atrás ,professor de Português existia entre outras coisas,pra ensinar regras gramaticais,ortográficas e corrigir erros,sim!
A língua é produto cultural dos mais significativos,porque representa a origem de seus falantes nativos e o tanto de evolução a  que uma comunidade lingüística  conseguiu chegar .
Aprendi a comunicar-me wm Língua Portuguesa aos seis anos de idade e não sem  grande dificuldade.Vinda de outro país e já alfabetizada em meu idioma -pátrio,tive a oportunidade de sentir nos poros  o quanto esta língua  é difícil,porque rica!
Venci o desafio  pelo  inestimável auxílio de bons professores na época,da boa família que tive e tenho e que sempre ofereceu-me a possibilidade e o exemplo da leitura ,além de meu próprio esforço pessoal pela necessidade de comunicação.
O homem  é ser de comunicação.Tanto melhor o fará,se melhor
orientado.
De nada vale falarmos em bom desempenho lingüístico  ,citando regras gramático-ortográficas inclusive, se não fizermos da comunicação falada e escrita em  nosso dia-a-dia modelo a ser seguido pelos mais jovens.

Zully Oney Teijeiro Pontet
Enviado por Zully Oney Teijeiro Pontet em 12/11/2005
Código do texto: T70456
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zully Oney Teijeiro Pontet
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 59 anos
219 textos (13424 leituras)
1 áudios (112 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:44)
Zully Oney Teijeiro Pontet