Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Presente para o menino de rua

   Era uma vez um menino de rua que na manhã fria do dia do seu aniversário, rezou a Deus e pediu de presente, o melhor dia da sua vida.
   A manhã correu apressada; a tarde veio, sorriu e sumiu sob o vestido negro da noite, e tudo continuava cinza como nos outros dias.
   O menino engraxou um último sapato, caminhou, sentou-se nas escadarias de uma grande catedral, e chorou... Esperara o dia todo pelo seu presente, e, no entanto, tudo era igual, exceto pela vontade de viver, que agora quase nem existia. Passou as mãos sujas no rosto lavado com água e sal, e logo após, sentiu um aperto incomum em seu peito.
   O mundo lhe fizera uma surpresa de aniversário. Dera-lhe uma bala.
   Na hora, não soube distinguir qual o sabor: Morango? Menta? Cereja? Não! Tinha sabor de aço e recheio de ódio. E ali sozinho, agonizando, chupou sua bala até o fim.
   Quando abriu os olhos novamente, estava diante de um homem negro que se vestia como um índio. O homem aproximou-se do menino, que também trajava uma vestimenta indígena, olhou-o nos olhos e o abraçou. Afastou-se um pouco, deixou que o menino retomasse o ar, e lhe falou: “Meu filho, sou aquele a quem as pobres religiões chamam de Deus. No decorrer dos séculos vim acompanhando a história do teu país, e confesso que houve momentos que lavei o chão deste céu, olhando meus filhos que ali moram. Uma terra invadida, escravizada, que tem o sangue do índio e do negro, arrancados de seus costumes e obrigados a servir homens que em nada lhe serviram. Um povo do qual, nem a corrupção maligna que há em seus representantes, que enriquecem jogando crianças nas ruas e obrigando-as a trabalharem por um simples pedaço de pão, nem essa carnificina silenciosa, rouba-lhes a esperança em dias melhores. Como pode um filho amar seu pai, se deixa seus irmãos morrerem na mais cruel miséria? O pai não sofrerá com isso?... Nesta manhã ouvi teu pedido, e agora, te dou uma eternidade, onde todos os dias serão os melhores de tua vida... Meu filho... Feliz aniversário”.
Allan Castro
Enviado por Allan Castro em 22/10/2007
Reeditado em 29/10/2007
Código do texto: T705143

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (nome do autor e naturalidade). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Allan Castro
Fortaleza - Ceará - Brasil, 29 anos
45 textos (3782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 11:14)
Allan Castro