Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tropa De Elite - O Filme

Tropa de Elite – O filme



Depois dos fracassos que os americanos sofreram nas guerras da Coréia e do Vietnã, a indústria de Hollywood fabricou seus heróis do telão para a hora da vingança.
Comandos Para Matar, Rambos, Comandos Delta,  Forças em Alerta,
Águias de Aço, Stallone, Steve Seagal, Chuck Norris   e o escambau, fizeram no cinema o que os soldados de carne e osso não conseguiram nas batalhas reais.
Filmes que resolveram mostrar uma realidade mais dura e crua, ou versões mais próximas dos eventos reais, causaram grandes polêmicas porque atingiam em cheio o mito dos heróis americanos, cheios de ideais em suas lutas de libertação dos povos oprimidos.
De qualquer forma os grandes sucessos de bilheterias e os recordes de arrecadação, enchendo as burras dos produtores de dólar, mostraram um filão inesgotável que merecia mais atenção da grande indústria dos sonhos e do faz de conta.
E a indústria cinematográfica tupiniquim resolveu jogar sua tropa de elite em peso pela conquista do grande público e das massas carentes de justiça contra a violência e o crime organizado.
A idéia do justiceiro predestinado e ungido pela raiva santa contra o sistema perverso e injusto (de um lado traficantes e outro a própria polícia corrupta), foi encarnada neste filme na figura do capitão Nascimento.
A grande contradição que vimos, então, é o reconhecimento tácito que de certa forma a moral por trás do enredo admite e avaliza, na idéia de que fogo se combate com fogo, violência com violência e prevalece a lei do mais forte.
Se antes um super-homem de aço voava pelos céus norte-americanos, com poder quase absoluto e uma moral ilibada, um homem-aranha se balançava entre arranha-céus das grandes metrópoles do norte, distribuindo justiça farta, justa e barata, porque aqui abaixo da linha do equador um capitão Nascimento não poderia (guardadas as devidas proporções) fazer o mesmo?
Afinal, nossa policia se bandeou para o outro lado, nossa justiça, aprisionada em muralhas intransponíveis de provas dos autos, se arrasta no tempo e no espaço em busca de uma utopia (a justiça justa), o nosso herói não poderia nos faltar neste momento de crise, nem que fosse na telinha.
Já se fala em Tropa de Elite 2, 3, 4 e até 5 (por que não?). Distribuir  justiça na tela é mais efetivo no combate à violência e às nossas frustrações de cidadãos que clamam por justiça. E dá mais lucro.
Quem sabe não poderíamos ter por conta da emoção e do numerário uma versão tupiniquim do "Império Contra Ataca". O lado da história contado em prosa e verso pelos  traficantes e seus pares corruptos para a grande tela do faz de conta.
Não percam em avant-première em lançamento mundial, "O BUM Contra Ataca".
BUM (Bandos Unidos dos Morros).

João Drummond
João Drummond
Enviado por João Drummond em 23/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T706708
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Drummond
Sete Lagoas - Minas Gerais - Brasil, 64 anos
177 textos (34185 leituras)
3 áudios (323 audições)
3 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 02:34)
João Drummond