Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"LOBOS PERSEGUIDOS POR CORDEIROS", Com o soneto: "ADEUS AMOR”

Meus
Caros Concidadãos
Meus Irmãos-Amigos
PELA LUZ, EM LUZ, NA LUZ

O aprendizado velado obtido, caminho aberto ao grande amor que tenho a Essência Divina Individualiza em Você, em vocês, é tão forte que, vai muito além do que seja minha representação, Aqui, Agora, Neste Plano, como continuidade da Roda da Vida, em direitos e obrigações perante todos, desde sempre, à frente, PELA LUZ, EM LUZ, NA LUZ.
Este amor é tão abarcante como a “gana inicial sentida”, infantil; depois vertida para a compaixão posteriori, madura, emanada, nos dias de hoje, e que direciono aos “inúmeros morcegos eleitos”, e, atuantes, nas Câmaras Municipais, nas Assembléias Legislativas e nos Congressos Nacionais, de certos países, os mais diversos, no em torno do Planeta, que, têm sugando a coisa pública, no vil interesse próprio, “servindo-se do, em vez de, servirem ao”, interesse nacional de seus países, em atrasos ao desenvolvimento nacional, e global, Pelo Todo,  obrigatório. Seres os quais alguns, pegos “com a boca na botija”, em determinadas regiões, julgando-se obrigados pela pressão pública, reúnem-se em banca própria, e,  vergonhosamente julgando a si próprios, sentenciam-se inocentes de tudo: não praticantes das acusações de atos de improbidade administrativa que lhes foram imputadas. E justificam tal mascarado ato dizendo-se, simplesmente, "cordeiros vítimas  dos incautos, e por estarem sendo perseguidos por “lobos ferozes e malfazejos detratores de suas impolutas imagens”, que estão interessados, de fato,  em vê-los mal quistos pela massa lenta e silenciosa, alcunhada e inconfessada pelos próprios de __ "mal necessário"; de acusados, se apresentam como acusadores, e vociferam que tudo ”não passa de jogada política do corrente desleal ao voto”, para as próximas eleições que, vem aí.
No entanto, meus caros concidadãos,  tanto quanto é verdade que ora estamos Neste Plano, existimos, a Lei do Retorno, da mesma forma, existe e não privilegia ninguém. Muito menos, aos que, em sã consciência, praticam descaradamente,  nada menos do que a mínima Descência Ao Irmão no Pai, ao irmão-próximo, atitudes extremamentes longe da Perfeição Divina, o que nos leva ao obvio. E, sem falhas, a mesma Lei, no seu devido momento,  entregará,  a colheita, amplamente, conforme a semeadura.
Desta forma, estes “morcegos desavisados”, sem o saber, por Absoluta Ignorância da Essência Divina Existente Em Si Mesmos, valho-me dizer porque é esta a realidade, é absolutamente certo, estão auto eliminando-se deste Plano, no Aqui, Agora, mais cedo do que o previsto, para que aprendessem, e, cumprissem, do prometido junto a Divindade no Além, antes de, para cá baixarem, Sua Missão PELA LUZ, EM LUZ, NA LUZ, ora transviada para as masmorras dos vícios; escuridão dos cegos de espírito, dos perdidos na ilusão do efêmero, ”esquecidos” do eterno, nossa morada primeva; local dimensional de onde viemos, para onde iremos.
Chegará um dia, Meus Caros Irmãos-Amigos, meus pátrios concidadãos deste Globo, que, no momento adequado, veremos estes Pobres Irmãos Ignorantes, pela Justiça Divina, extremamente contrariados mas sorvendo, “da cicuta espiritual e material que semearam”, com “tanto espero”, e, assim, observaremos o povo sorrir, pela libertação de tão pesado fardo. Não tenham dúvidas nenhum de nós, a Lei do Retorno, existente além do conhecimento e mesmo aceitação dos incautos, Não Falha: o Pai Maior, existente em cada um de nossos Corações, Presente Nos Ímprobos Também, Justo e Perfeito, exige de todos, Seus Filhos, exigirá deles também, nada mais, nada menos, do que apenas, a Perfeição, no tempo. E quem não o fizer, eis que a evolução individual também é obrigatória, quem não evoluir, auto elimina-se, auto eliminar-se-á, Deste Plano, Aqui, Agora, desta vez, mais cedo, por ter excedido a cota de erros admitida neste presente. Preparado será, certo, em nível dimensional superior, para exercitar nova oportunidade de aprendizado, pelos erros pretéritos, no futuro, com enormes dificuldades.
Eis que:
__NINGUÉM É PERDOADO, PELA ESSÊNCIA DIVINA EM SI MESMO,  DOS ERROS COMETIDOS ENQUANTO NÃO DESMANCHAR AS CONSEQÜÊNCIAS DOS MESMOS, NO TEMPO QUE FOR NECESSÁRIO, TRANSFORMANDO A ESCURIDÃO MENTAL E ESPIRITUAL EM LUZ, RESGATANDO EM AMOR, DO VÍCIO DERRAMADO. Para o Pai, em Nós, o tempo terráqueo não existe. O eterno é o sempre ontem, hoje e sempre. Para a Divindadae em Nós, não existe pressa, como não existe negociação para “passar a mão por sobre os erros de quem quer que seja”: ela é, Aqui, Agora, desde sempre, e Além, Eternamente. E a citada Lei do Retorno é o espelho do eterno semear, e, conseqüentemente, do colher conforme semeado. Tudo é uma questão de precipitar-se no tempo, Neste Plano, em Evolução Constante, no Tempo.
Finalmente, cumpre ser dito que os pensamentos e sentimentos de cada um de nós, estão, muito além do que demonstramos aos demais, sempre, sempre, semeando para o porvindouro. E, assim, cada um dos seres humanos encarnados na Terra, colherá conforme o que emanar dos mesmos, e não,  de acordo com o que possa tentar transparecer, falsamente,se for o caso, aos companheiros de jornada terrestre, aqui, agora, na Roda da Vida, desde sempre, eternamente.
Portanto, devemos cuidar, com extremo zelo, do que emanamos da mente, pensamentos, do coração, sentimentos!

Quem viver, verá!

Assim, lembro que inúmeros cidadãos, dos mais distantes locais do planeta,  têm-me tecido comentários indignados sobre este tema, e, confessado aos "pés de meus ouvidos":
__ “Nunca mais votarei; nunca mais elegerei; eu votarei em branco”.
Com certeza, àqueles citados “morcegos sem eira nem beira, sem responsabilidades, SEM ÉTICA, causadores destas expressões de pensamentos ditadas por cidadãos ilustres, mas aturdidos, na realidade não sabem,  porque estão surdos, têm levado milhares dos mesmos cidadãos a gritarem por dias melhores, e, estes, no desespero da não visualização da esperança de mudança deste "status quo", de uma saída digna, fazem afirmações, deste quilate”, propondo-se ao desperdício do voto; são afirmações, na realidade,   pensando-se pugnando-se por melhorias nos chamados Estados Democráticos de Direito, não recomendadas. O voto ainda é a melhor forma de serem planejadas mudanças necessárias, mas que, com certeza, devem ser operacionalizadas. No entanto, estes concidadãos aturdidos, desiludidos, pedem, pedem todos,  pedimos nós, aos Céus, Novos Tempos, constantes de limpeza à política lamacenta, aqui, agora. É o que corresponde o grito do soneto abaixo, se bem entendido o espírito do tema em tela:

ADEUS "AMOR"

Adeus, meu amor, vou-me embora,
Sozinho e resignado com minha sorte.
Por caminhos incertos, pelo mundo afora,
Irei sorrindo às dores, idealizando a morte.

Mas ouve ainda quem te fala e implora:
Tu que dizes ter um coração duro e forte,
Esquece que te amo e me amaste outrora
E, não rogueis a ninguém que me conforte.

Oh, sonho de um dia ... minha vã esperança!
Ficas feliz, e eu só levo n´alma dorida,
A amarga recordação de uma lembrança.

Nunca mais amarei mulher assim fingida,
Porque este amor de jovem, de criança,
Será talvez o último de minha vida.

Porto Velho, 13 de novembro de 2005.

Nesta data, em rogativas ao Pai, com todo o meu amor, com todo o meu carinho, com todas as minhas forças, PELA LUZ, digo:

__Amando a Essência Divina Individualizada em você, em Cada Um de Vocês, Todos, meus Amigos, PELA LUZ, EM LUZ, NA LUZ, Aqui, Agora, Desde Sempre, Enquanto na Roda da Vida, e Além, Como Expansão Constante do Todo, na Vontade Maior, Eternamente, sugiro: continuemos, sempre com maior firmeza mental e emocional, trabalhando PELA EXPANSÃO DA LUZ, EM TODAS AS MENTES, EM TODOS OS CORAÇÕES, NESTE PLANO.

E recomendo, na livre e expontânea vontade de todos: que cada um de nós Seja Capaz de Doar, o que não lhe for útil, para o irmão próximo, pois isto, será uma benção renovadora, em prol de todos os necessitados.
Saibamos que, assim, estaremos semeando no Cosmos, sempre fértil, para o nosso próprio porvindouro, em Abundância Plena, necessitados que somos, todos, não só do Pão Físico, mas do Eterno: justo e perfeito.

Haja LUZ. Haja ÉTICA.

Vitor Hugo Bitencourt da Silva

Sócio Fundador da Associação Rondoniense de Poesia – ACARP
Sócio efetivo e Comendador da Ordem da Confraria dos Poetas Brasil – OCPOETAS BRASIL
DOUTORANDO
Web Site: http://www.vhbbrasil.recantodasletras.com.br
E-mail: vhbbrasil@vhbbrasil.recantodasletras.com.br

Prof Vitor
Enviado por Prof Vitor em 13/11/2005
Reeditado em 15/11/2005
Código do texto: T70977
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Prof Vitor
Porto Velho - Rondônia - Brasil
142 textos (19421 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:30)