Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Homem Esse Grande Predador!

                        O Homem Esse Grande Predador!
     O homem, é o maior predador que existe na natureza. Mesmo sendo considerado como um ser superior, desfrutando dessa vantagem, ele comporta-se como um autentico predador, perante os três reinos da natureza!
      Com essa sua atitude, nem se lembra, que está cavando a ruína para todos, e a herança que vai deixa, aos seus descendentes, se é que os vai ter! Será mito pesada.
      A cada momento, pessoas que se deviam considerar responsáveis, estão destruindo, ou deixando destruir, tudo o que a natureza tem de bom, só com a ganância do lucro imediato e até por vezes, de destruir, ele acaba pondo em perigo, o valor e equilíbrio da natureza.
      Mas este mal, já tem centenas de anos, pois há provas, que no século dezanove, um lorde “ gabarola,” numa entrevista que deu, gabou-se de ter abatido o último espécime, de um animal em África, que ficou completamente extinta, a partir desse dia. E este senhor era então um lorde!
     Mas se estudar-mos bem, verificamos que atentados destes, sucedem-se anos e anos a fio e não pararem, até ao dia de hoje.
      O homem desenfreadamente corta florestas, sem método nem princípio, tendo em mente, o lucro imediato, na venda de madeiras preciosas, outros deitam fogo, com o propósito de adquirirem terras para agricultura, mas que por vezes acabam vendo, que as mesmas são fracas para tal fim, embora nos dois primeiros anos, produzam bem, mas depois já não dão grande produção, porque são solos fracos.
     Poluem-se os rios com mercúrio, para garimparem o ouro, mas neste caso; por vezes são pequenos garimpeiros, que para subsistirem e alimentarem a família, usam esse método, e por não serem esclarecidos, ou por não quererem, envenenam as águas onde vivem peixes, que servem de alimento por vezes, para eles e sua família.
     Depois, há uma série de indústrias, mal montadas e industriais que não querem investir em estações de tratamento de águas residuais, e com a ganância de grande lucro, atiram com toda a poluição, para rios riachos e linhas de água.
      No sector de pescas, a pesca descontrolada, em especial a pesca de arrasto, que usando redes de malhas muito fechadas, e com as portas que pesam umas boas toneladas, e vão arrastando no fundo, destruindo tudo à sua passagem, em especial o habitat, das várias espécies. Por se praticar uma pesca desenfreada, as reservas estão a esgotar-se, e há mesmo espécies, que estão quase esgotadas. Aliando a isto tudo, temos a poluição das águas dos rios, lagos, lagoas, albufeiras, e até dos oceanos, onde já se encontram peixes com elevado teor de chumbo, e de mercúrio. Agora vejam o que estes materiais fazem na alimentação do homem, o que pode prejudicar na saúde
     Nas cidades, são as variadas indústrias, quer pesadas, quer ligeiras e pequenas oficinas, debitando para a atmosfera, montes de fumos, gazes, poeiras e barulhos em jeito de poluição sonora. Depois nos grandes centros, hás os gases dos escapes, dos milhares de carros e camiões, das chaminés das várias fábricas, em laboração quase contínua. E muita gente, esquece-se que os milhares de pneus, que equipam todos esses veículos, ao rodarem vão deitando para as ruas e estradas, quilos e quilos de pó do desgaste dos ditos pneus, nas travagens caem mais uns quilos ao longo dos dias dos discos de travagem, que é composto com ferôdo que é cancerígeno. Estes pós, quem os vai inalar mais, são as crianças, porque ao passar por elas um carro, pelas ruas ou estradas, sempre levanta poeiras finas, que quase não damos por isso, mas que não sobem muito, e portanto as crianças, como são mais baixas inalam mais desse pó altamente tóxico. Reparem nas estatísticas, sobre aumento de crianças com cancro.
     Pergunta-se: Os homens responsáveis pelas diversas organizações e pelos governos, que medidas estão tomando? Limitam-se a tomar medidas paliativas, e não têm coragem em atacar o mal pela base!
     E se falarmos da quantidade de gente de todas as idades, que está contaminada com o vírus da aids, ou sida? Gastam-se milhões em campanhas que não atingem os fins desejados, porque não foram bem planeados, as pessoas muitas estão mal esclarecidas, e carecem de uma assistência constante, há quem tenha bons empregos, nestas campanhas, e até estão nas agendas dos políticos como promessa, mas que ou não se cumprem ou ficam a meio para serem cumpridas.
     Outro flagelo é a droga, que está presente em quase todos os países, servindo para engordar as fortunas dos “barões da droga,” que quando são apanhados, têm dinheiro para os melhores advogados, que os livram da prisão. Normalmente o que é apanhado, é o médio ou pequeno traficante, que se ficar em silêncio, não lhe falta nada para se livrar da prisão, e se tiver de ficar preso tem vida boa igualmente, se guardar calado.
      Finalmente, outro flagelo: Agora começou a ser descoberto e posto em destaque a pedofilia, coisa miserável e mais desgraçada, praticada por autênticos monstros que de humano só têm o aspecto. Eles raptam e violam, jovens e até crianças de poucos meses imagine-se, dando-se ao luxo, de pôr toda essa podridão e falta de vergonha, na intenet em filmes e vídeos, oferecendo tal espectáculo degradante, para outros monstros iguais se aproveitarem, não se conseguem prender e condenar, por estarem de tal ordem bem orientados e como alguns, são gente com mito poder, os tribunais raramente os podem condenar, porque as provas são poucas e não só. Estas crianças, como vão ser elas ao chegarem a adultos? Está provado que muitos pedófilos também foram violados quando eram ainda umas crianças, além do trauma que as vai acompanhar pela vida inteira.
     Não se fazem leis duras e severas, para castigar estes casos, a polícia acaba por ficar frustrada, ao tentar fazer uma investigação ampla, por vezes retiram-nos dessa investigação e mandam-nos para outra diferente, porque o sujeito a ser investigado, é peixe grosso, ou político de influência. Os juízes, debatem-se com códigos penais demasiados brandos e com leis complicadas, onde não se pode aplicar a lei com toda a severidade. As desculpas são sempre as mesmas; porque as verbas não chegam, que as prisões estão sobrelotadas. Mas os responsáveis das várias organizações governamentais, os políticos apenas pensam no momento presente, vivem egoisticamente, não se lembrando que têm filhos (se é que os têm) e que deixam uma herança muito pesada e envenenada, para seus filhos e netos.
     Mas as várias organizações internacionais sempre deixam as coisas correr e desculpam-se também com falta de verbas, mas quando é preciso fornecer armas e meios militares para fomentarem mais uma guerrazinha sempre arranjam a pronto pagamento ou a crédito verbas para a guerra que só traz miséria, ódio e mais desgraça
        J. Rodrigues
   
Galeano
Enviado por Galeano em 01/11/2007
Código do texto: T719528
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Galeano
Portugal, 81 anos
522 textos (103789 leituras)
14 áudios (2001 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 23:06)
Galeano