Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A noite é dos vampiros

   Nas ruas quase vazias das cidades, os vampiros atacam, cada um a seu modo. Invisíveis aos  olhares desatentos, mas eles estão ali e em toda a parte:
   Ao nosso lado, na maior parte do tempo, como sombras imperceptiveis , satisfazendo os seus  prazeres e, ou sofrendo desapercebidos.
  Nas ruas, quase vazias, crianças dormem ao relento, escravizadas por algum tipo de viagem enduzida.
 Homens alcoolizados perdem suas identidades em calçadas coletivas, escravos de sua própria sorte .
    A  noite é destes vampiros.
    Dos homens sem caráter.
    Dos boemios, prostitutas, dos vigilantes.
    A noite é  destes inocentes.
   Quisera eu escrever  outra história que não contasse sobre as misérias do povo da rua, do egoismo e da falta de solidariedade.
    Quisera eu, amigo leitor, não falar do medo, da incerteza do dia de amanhã.  Do futuro de nossos filhos e netos.
    Quisera eu ter certeza que amanhã estaremos todos bem.
    De ter certeza que nós não nos tornaremos  vampiros de algum vício ou de nossas próprias  decisões.
   Quisera eu acreditar que basta o Sol nascer para todos estarem  melhor, e verdadeiramente  acreditar que todos nós  somos   irmãos.
Alexandre Abrantes
Enviado por Alexandre Abrantes em 15/11/2005
Reeditado em 28/11/2010
Código do texto: T71961

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Abrantes
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
21 textos (1242 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:06)
Alexandre Abrantes