Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JOÃO BABÃO

JOÃO BABÃO


A meninada se divertia, imitava e acompanhava João Babão em sua loucura, sua paixão pelo volante.
Um sujeito novo, feioso, o rosto torto, a boca quase alcançava a orelha direita. Sua voz era um urro. Os dentes encardidos, sebosos, salteados. A baba descendo fina pelo canto da boca espumosa. Rapidamente o fio de baba engrossava e atingia a roupa, empapando-a. Pés descalços, camisa aberta ao vento do seu próprio movimento.
Um dia descia rua abaixo com um carrinho-de-mão barulhento. No outro descia com um automóvel fabricado pela sua imaginação. Ligava o "automóvel", emitia o barulho do motor, passava a primeira, a segunda, e assim por diante. Dava até a marcha-à-ré. O fogo apagava. João não desistia. Colocava em ponto morto, baixava o freio de mão. Reiniciava lento, posudo, feliz, aumentava a velocidade, fazia manobras, curvas, cavalos-de-pau, acelerava, reduzia, freiava, cantava pneu, fazia toda a sonoplastia. Os meninos, atrás dele, se aproveitavam dos sonhos daquele tolo.
João Babão! Olha o João Babão! E ele ria satisfeito, buzinando no ar o seu veículo de sonho. Sentia a glória conferida por aquela platéia, aquele ibope de meio de rua. E se esbaldava nas estradas da imaginação misteriosa dos doentes mentais.


Aju, março de 2005





TÂNIAMENESES
Enviado por TÂNIAMENESES em 03/11/2007
Reeditado em 03/11/2007
Código do texto: T721717
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
TÂNIAMENESES
Aracaju - Sergipe - Brasil, 69 anos
1682 textos (175331 leituras)
1 áudios (102 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:20)
TÂNIAMENESES