Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Foto de Dennis Smith, retirada da Google, conhecido como "Tigerman".


O homem imita a fera



Esta semana assistindo a um programa de televisão, algo completamente diferente chamou-me a atenção... é absolutamente normal termos uma afeição e admiração por algum animal, seja lá por quais motivos forem: beleza, imponência, delicadeza, fidelidade, etc. E diversas pessoas acabam “eternizando”em seus corpos essa paixão por esses animais, tatuando-os pelo corpo. Até aqui nada de tão anormal.

No entanto, querer ser a imagem e semelhança de um desses animais, já se torna algo complicado, diferente e até mesmo assustador.

Um homem chamado Dennis Smith, americano, morador da Califórnia, é completamente obcecado pelos tigres, e resolveu fazer-se um tigre, isso mesmo, “fazer-se um tigre”, para isso foram inúmeras as cirurgias dolorosas, tatuagens e até implantes para ficar igual a um tigre. Ele já faz isso a 20 anos, e neste período, gastou em torno de 350 mil reais.

A matéria apresentada no programa, mostrou alguns detalhes de todo esse processo, como por exemplo: ele pintou todo o seu corpo de amarelo, e tatuou tiras negras, imitando a pele dos tigres; mandou limar os destes para deixá-los afiados e puxou os lábios como se estivesse sempre com a boca aberta, pronto para devorar sua caça; implantou bigodes de gato; repuxou as orelhas; deixou as unhas imensas, como garras e as lentes de contato que brilham no escuro completaram o visual. Outros detalhe, ele já tem comprado uma coleção de tapetes de pêlos de tigre e ainda pretende implanta-los em seu corpo todo.

As imagens exibidas me deixaram literalmente chocada e preocupada, isso tudo mostra que ele até pode amar a fera, mas amar a seu modo, um amor que não cabe a ninguém compreender; porém não se preocupa com a extinção da espécie, pois se tivesse essa preocupação, jamais teria um estoque de tapetes, onde tantos tigres foram sacrificados para enfeitar a casa de alguém, ou no caso dele, para adornar seu corpo.

Até que ponto essa “paixão”, essa “obsessão” pode levar uma pessoa a sentir dores e até mesmo mutilações de seu corpo, e não se preocupar com a extinção dos animais, para se tornar um felino, para imitar a fera?

Fica esta pergunta no ar...

Acredito que os 20 anos dedicados e este processo, junto com o dinheiro gasto por ele,teria sido muito mais bem aproveitado se ele tivesse se dedicado a causa do bem estar dos animais, da não extinção de tantas belas espécimes, que acaba por comprometer toda uma cadeia alimentar, e com isso o gerando também um desequilíbrio ambiental.

Se a “moda” pegar, no futuro estaremos esbarrando com cobras e lagartos pelas esquinas.

04/11/2007
Cláudia Zin
Enviado por Cláudia Zin em 05/11/2007
Código do texto: T724039
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cláudia Zin - http://recantodasletras.uol.com.br/autores/claudiazin). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Zin
São João Del Rei - Minas Gerais - Brasil, 50 anos
305 textos (40115 leituras)
3 e-livros (92 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 22:21)
Cláudia Zin