Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mais um dia

Não...Não deixe que o sono domine...
Que te agarre pelas costas levando pela profundeza
Não... Não deixe a morte sorrir...
Agora não... Não desse jeito...
(O professor olhou desnorteado para sala, olhando, com o coração acelerado... era infarto?
De alguma forma, de algum jeito... iria subir aquele precipício.)
Quase caiu...
Mas com as forças das unhas encravadas no rochedo, foi escalando. O céu permanecia cinza. Apesar do desejo de se soltar para o abismo e deixar se levar pela escuridão. A morte era uma senhorita paciente e sábia. não havia pressa. Nessas horas não.
(Sobre o professor, os alunos olhavam, assustados, sem reação. Deitado no chão, um homem, um adulto. Estava desacordado. Havia caído. Deitado não parecia mau. Não estava mal. Será que só dormia?)
(O inspetor entra rapidamente e com auxílio de outras duas professoras tira o convalescente da sala de aula, sob o olhar vigilante e indagador de 30)
-Naquele dia, Guilherme dormiu pensando que havia matado o professor. E rezou seu primeiro Pai-Nosso.
valdirfilosofia
Enviado por valdirfilosofia em 06/11/2007
Código do texto: T725860
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Valdir dos Santos Lopes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
valdirfilosofia
Penápolis - São Paulo - Brasil, 35 anos
550 textos (23158 leituras)
2 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 20:19)
valdirfilosofia

Site do Escritor