Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APARÊNCIAS DÚBIAS




Era uma casa acima da minha, alguns metros acima, de tal modo que os olhares davam dentro de minha casa.
E viam-me da janela... Toda noite me olhavam, alguém me olhava todas as noites ininterruptas. Olhava-me... Eu, inesperadamente voltava à minha ante-sala, e lá estava aquele sentinela. Quando menos se espera, eu estava de pé, e olhava da janela, e via que me olhava. Irritava-me aquele olhar incessante, obsessivo; olhar noturno de mau agouro. Irritava-me aquele olhar...
Mandei-lhe um recado:
- Vá até lá  - falei à empregada – diga àquele homem que pare de olhar para dentro de minha casa!
Benedita foi, bateu palmas e foi atendida por um homem pálido, de olhos fundos, sem sobrancelha, sem pelo algum pelo corpo... Indagou-lhe, não pelo tom que a fizera ir ali, mas desfeita pelo choque da aparência alheia. Maciamente lhe perguntou:
- O senhor não dorme à noite...?
- Alguns minutos. As dores não me permitem. Fico perambulando pela casa e vigiando um senhor lá em baixo que parece ter grandes problemas, posto que também não consegue dormir. Penso ir lá uma hora dessas visitá-lo.
Quando vi Benedita adentrar minha casa com aquele olhar triste, enfureci-me. Deve ter sido destratada por aquele espião!
- Sabe por que ele fica a noite inteira de pé, seu Marivaldo?... Perguntou-me.  Não consegue dormir por causa das dores... E acha que o senhor também sente dores, e ele fica olhando para cá se compadecendo com o senhor.
Depois disso eu o via naquela janela e também me compadecia  daquele homem.
Eu ainda o vi por algumas noites.
Hoje aquela janela parece não existir mais.

Geraldo Altoé
Geraldo Altoé
Enviado por Geraldo Altoé em 07/11/2007
Reeditado em 08/11/2007
Código do texto: T727298
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Geraldo Altoé
Serra - Espírito Santo - Brasil, 61 anos
811 textos (18515 leituras)
1 áudios (15 audições)
2 e-livros (188 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 14:22)
Geraldo Altoé

Site do Escritor