Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Alma Gêmea

Almas não tem idade... são tão antigas quanto o tempo. Existem. Foram formadas aos pares pelo “Sopro Original” com a finalidade de gerar amor verdadeiro. Amor este, que retorna ao “Sopro Original” nutrindo-O em Sua essência.
No entanto, pode acontecer destas almas serem acidentalmente separadas e uma vez acontecido, passam a procurar-se através do tempo. Às vezes encontram-se, completam-se em tempo real e presente. Outras vezes vagam em profunda melancolia, em visível tristeza buscando por sua outra metade.
Esta procura dolorosa pode ser amenizada com a chegada de “almas companheiras” que vem em auxílio, para tornar mais suave esta espera. Neste caso não há liberação de “energia pura” chamada amor verdadeiro. Não se estabelece a ligação com o “Sopro Original”. Este tipo de encontro gera companheirismo, amizade, carinho, desejos da carne, mas o amor de entrega, de doação, de renúncia, fascínio, entendimento, euforia e desejo de paz de espírito, este, somente é liberado através de uma união entre duas almas gêmeas, iguais em sua essência.
Difícil reconhecer em meio há tantas almas, qual é nossa outra metade. Onde estará? Como estará? Às vezes nos sentimos atraídos, olhamos o “exterior” tentando adequá-lo ao nosso querer interno, mas não funciona. Por vezes, olhamos num par de olhos e dá-se o big bang! Dispara o mecanismo de reconhecimento, percebem-se traços de que nos são familiares, gostos parecidos, cheiro agradável, sabor agradável, mas... sua alma metade pode ter vindo a Terra num tempo “antes” ou “depois” do seu. Você poderá encontrá-la num “invólucro” diferente daquele que no seu momento atual serve de referencia ao belo.
Mas alma não tem idade nem beleza física... a energia é a beleza, será sempre a mesma através da eternidade, mudando sómente o receptáculo.
Então, onde estará minha outra metade? Como será neste tempo presente? Estará a minha procura? Não há como saber se vou encontrar ou se fui encontrada!
Quem poderia ser tão parecido comigo? Ter os mesmos gostos, a mesma força de viver, a mesma alegria, a mesma tristeza, a mesma saudade, a mesma lágrima?
Quem seria tão aventureiro, apaixonado, romântico a ponto de olhar a lua, conhecer estrelas, sentir a carícia do vento, a delicadeza de uma rosa e no instante seguinte ouvir um Rock? Metálica, Iron e mesclar tudo com Caetano, Djavan, Neil Young e terminar ouvindo Mozart?! Quem poderia estar lendo Camões e no instante seguinte deliciar-se com Donald e Mickey?! Onde encontrar alguém que goste tanto do mar, do cheiro, da cor e da musica do mar? Não existe tal pessoa! E se existir, não me encontrou, não olhou em meus olhos, bem lá no fundo... Não ouviu minha “voz”, não sentiu o perfume de minha pele, nem o descompasso de meu coração...
Ah, se você existisse agora, neste meu tempo presente, acabava-se minha espera... te cobriria de beijos numa entrega total, na fusão de nossas almas, o céu viria abaixo tamanha grandeza do meu amor por você.
Mas enqunato voce não chega, eu estarei aqui.
Estarei te esperando... sempre aqui, te esperando.
Luciah López
Enviado por Luciah López em 14/11/2007
Reeditado em 18/03/2010
Código do texto: T736809
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Luciah López
Curitiba - Paraná - Brasil
1432 textos (76641 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 08:27)
Luciah López