Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Parabéns para você

Eu ainda acendia a centésima décima oitava vela do bolo, quando a massa de manobra era sugada mais uma vez, por impostos, e prorrogações de alíquotas. Sem massa, as velas caiam sobre a mesa queimando minhas esperanças, as últimas, que morreram primeiro. Ainda cantava os parabéns, no meio das chamas, como lamento de quinhentos anos de dominação e exploração.
Parabéns Brasil! Mas não tem bolo, ainda estamos pagando as armas da independência, que não foi nem um de nós libertados, tampouco libertadores. Quase duzentos anos de juros, que os índios não puderam nem negociar. A ganância branca, com uma pretensão superior, mas que anda em círculos, diz que foi até na lua, manda fotos de outras galáxias, mais é incapaz de reconhecer um semelhante. Derrama sangue em nome de um ser que ninguém nunca viu, nem sabe que cor tem, mas mata negros e pardos.
Parabéns Brasil! Nem a árvore que te batiza suportou a pressão, estamos num precipício sem fim, so o Fundo Monetário Mundial, que puxa, por uma corda amarrada ao nosso pescoço. Mas sejamos felizes, o Brasil é penta! “Com brasileiro não há quem possa!” mesmo que não de para comprar uma camisa da seleção, que custa um mês de trabalho, sem os descontos. IR, IPTU, IPVA, INSS... e o escambau... mas nem se importe, em fevereiro tem carnaval. “Allah lá ôôô... mas que valor ôôô...” Enquanto isso, Brasília, o bloco dos manda-chuva, é sucesso desde mil e quinhentos a marchinha: “Hei, você ai, me da teu dinheiro ai...”.
Parabéns Brasil! As velas do teu bolo, estão nos caixões de eleitores trabalhadores que não tendo onde morar, são enfiados em favelas, administradas pelo crime organizado pela desorganização estatal, que os mata em balas perdidas, em disputas territoriais. País desproporcional em todos os âmbitos. Se somos pobres, ladrões, se ricos roubados. Somos instruídos pelas autoridades policiais a não sair na rua ostentando luxo, mais uma contradição capitalista, que um de seus lemas é exatamente esse. Toda a vitima do capitalismo, uma vez picado pela serpente, precisa mostrar que tem poder de compra para que outras vitimas sejam mais ambiciosas e possam superar a primeira. Não no Brasil. Aqui quanto mais se tem, menos tem que mostrar.
Parabéns Brasil! Temos exemplos para o mundo de hipócritas de todos os naipes. Tem maracutaias até nas maracutaias das maracutaias... que lá no fim, não se sabe a finalidade do projeto inicial. E quem mais paga, é quem menos recebe. Não se pode nem chamar o cônjuge de “meu bem”, que o governo já tasca um imposto. No RS, o governo queria aumentar os impostos por que o estado está falido, com salários atrasados, eu quero saber se os marajás estaduais estão com os salários fatiados?
Parabéns Brasil! Pelos teus políticos ambíguos. Aqui no RS tem senador que era favorável ao pacotão da governadora, e em Brasília, favorável a prorrogação da CPMF. Dois pesos e duas medidas. Parabéns para essa justiça. Parabéns aos presos por corrupção, não ficam nem quarenta e oito horas atrás das grades.
Parabéns Brasil! Pela tua forma arcaica de situações dogmáticas, constitucionalmente previstas para ser laica, e funcional apenas no papel. Alias, como tudo o que rege este país. Democrático igual ao Chavez.
J B Ziegler
Enviado por J B Ziegler em 15/11/2007
Código do texto: T738891
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Ziegler
Gravataí - Rio Grande do Sul - Brasil, 37 anos
217 textos (42301 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 19:57)
J B Ziegler