Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Declaração de princípio

Com duzentas palavras (pouco mais, pouco menos) é possível escrever uma boa crônica de internet. Evitamos a encheção de lingüiça, a tentação da firula, o excesso de dados na ambientação temática.

Para quem lê, nem se fala. Gasta menos de cinco minutos com o texto, sem motivo real para zangar-se com um cara que lhe pede essa mixaria de tempo, e pode correr gira depois disso. O fato de ter lido algo inútil — o verdadeiro ouro de toda crônica — só acrescenta mais luz ao entretenimento, se me permitem. Mas atenção: disse inútil, não irrelevante.

Deste lado do Boulevard dos Tamarindos, em Marechal Hermes, o meu rio Tingüi percorre um trecho de nada a céu aberto, o bastante, porém, para as canelas finas de Heráclito, e com este, sempre de novo, o conceito filosófico mais bem-sucedido do pensamento ocidental — o devir.

Outro bom exemplo são os "telefonemas" de Oswald de Andrade ao Correio da Manhã entre 1944 e 1954. Três ou quatro parágrafos que vão direto ao ponto e nunca perdem o bonde ou a lotação. É verdade: ele diz a lotação, como nossos pais.

Enfim, vamos em frente.

[16.11.2007]

Luiz Guerra
Enviado por Luiz Guerra em 16/11/2007
Reeditado em 16/11/2007
Código do texto: T739171

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Luiz Guerra, www.galhodearruda.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Guerra
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 69 anos
166 textos (17318 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 01:41)
Luiz Guerra