Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


                  OS DONOS DO NADA

(Republiquei pois  acho que nada mudou!!!!)

         

Meu Deus eu estava tão triste na vida.
Porém eu os vi, Senhor...
Naquele beco escuro e imundo. Eu os vi bêbados, desavergonhados,
sofrendo as conseqüência desta injusta sociedade de consumo.
Eu os vi também nas estradas poeirentas, cabisbaixos e envergonhados;
E nos campos secos, sem água, plantio...ou alimentação;
E nas frias madrugadas, Senhor eu os vi tiritando de frio e chorando de fome;
Nos barrancos sujos e escuros, nos seus improvisados lares de lona
preta eu os vi marchando rumo ao campo;
Eu os amaldiçoei quando nas pequenas contravenções eles procuravam
um meio de apanharem as migalhas de famílias privilegiadas;
os vi praguejarem nas ruas, nos botecos, tristonhos, barbudos..aos farrapos;
e buscando abrigo em cemitérios sombrios a fazer companhia para
as daninhas trepadeiras sob mutiladas cruzes; e os vi sem esperanças,
e nos lixões, remexendo, chafurdando na imundície, e, sorrindo doentiamente
ao encontrarem frutas pútridas e migalhas de pão; olhos frios, embaçados...
e vi brigas terríveis entre eles por causas vãs;
também vi entre eles cegos, mutilados física e moralmente em seus andrajos
a estenderem mãos trêmulas à cata de centavos ou migalhas de alimentos;
e a maioria rechaçando-os irônica e sarcasticamente;
eu os vi nas sinaleiras das esquinas das métropoles,
vi seus olhos sem expressão, acompanhados de suas mulheres magras, descalças e de seus
moleques de olhos esbugalhados, de ventres proeminentes...vermes,desnutridos,
de cor amarelada, doentia;
Eu os vi nos portões de imponentes casarios, e os vi de rostinhos colados nas vitrines dos
restaurantes, a se regalarem mentalmente com o frango assadinho e cheiroso ali exposto;
imundos, sem escola,desdentados, sem educação, sem esperanças futuras;
Eu os vi nas macas e corredores de hospitais públicos, sem assistência, esquecidos em suas amarguras e dores.
Muito tempo após, eu os vi na escola marginal,da droga,da prostituição,do crime...
E os vi nas cadeias, sem assistência jurídica, sem esperança,
pagando por pequenos crimes por muito muito tempo...
E o desprezo e o orgulho desta maldita sociedade nega-se a enxergar o que vi e ouvi em
tão pouco tempo. E alguns poucos como eu, pouco puderam fazer frente à situação.
Senhor, iluminai nossos caminhos, para uma comunidade digna de ser vivida.
Guia-nos para o bem Senhor para fazermos parte de uma sociedade mais justa.
Mas sobretudo Senhor Ilumine a consciência de nossos governantes, dos abastados,das autoridades
e dos dirigentes de suas igrejas, para que deixem de lado as hipocrisias e ganâncias pessoais
promovendo uma melhor distribuição de renda neste Brasil, gerando empregos, assistência
social digna, educação, enfim promovendo o bem estar social expulsando a miséria para sempre!
UTOPIA?

 

 

Maurélio Machado

Publicado no Recanto das Letras em 05/10/2005

 

Maurélio Machado
Enviado por Maurélio Machado em 18/11/2007
Reeditado em 31/03/2011
Código do texto: T742029
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Maurélio Machado
São Bento do Sul - Santa Catarina - Brasil
8056 textos (1683373 leituras)
2 áudios (1148 audições)
95 e-livros (6281 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 19:12)
Maurélio Machado